4.3.08

GRAFIAS




Porque as dores são verticais
tem de haver um lugar






onde escrever pela mão dos anjos
horizontalmente


assim


Licínia Quitério

18 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

Porque as dores nao teem cor, deste uma volta à dor e ficou a cor sem dor...

Ad astra disse...

pode ser este blogue...

Um beijo

M. disse...

Sim, as dores são verticais porque a dignidade do ser humano assim o exige. Ou talvez ainda porque ele procure auxílio no que está acima dele, olhando o infinito com olhos de esperança. Esperança em si próprio, esperança no que possa haver de sublime nos outros e no mundo. Em suma, esperança na vida, apesar das dores no coração e no corpo dos homens.

Graça Pires disse...

Escrever pela mão dos anjos...
A poesia a circular no sangue, livremente...
Obrigada pelas palavras que deixaste no meu "Ortografia". Tens razão: os poetas morrem sem se renderem. Mas os poetas também se rendem todos os dias à sua própria solidão...
Um beijo.

Bruxinhachellot disse...

Adorei a forma como escreveu e descreveu sobre o tema "dor".

Beijos de Sol e de Lua.

T S disse...

olá
adorei seu blog
convido vc para lusitana ilusao,espero que goste
ts

bettips disse...

Há anjos a guiar mãos, aqui.
Bjinho

un dress disse...

das geografias inscritas...







beijO

nnannarella disse...

E eu vim encontrar firmes afinidades, também nas histórias, que me encantaram, do outro blogue.
Há dias peregrinos assim. Tenho de palmilhar mais, mas do que li, já digo: há dias de sorte!:)

Vanda disse...

De cor, de dor e de verticalidades erguida. Assim és tu :)


...e adorei o outro lugar :)


o lugar das gentes que se cruzam, das vidas que se ganham e se perdem.


Encontro marcado :) aqui.

maria carvalhosa disse...

Querida Licínia,

Hoje não estou aqui para te deixar um comentário ao post, (há quanto tempo não o faço!) mas para divulgar um evento no qual poderás ter interesse em participar ou, pelo menos, dele ter conhecimento.
Trata-se do Concurso de Poesia 2008 organizado pelo Henrique Sousa e cujos detalhes podes encontrar no endereço:

http://horabsurda.org/moodle/course/view.php?id=30

Este é o site do concurso de poesia para 2008 do «Ora, vejamos...», administrado, conforme já referi, pelo Henrique Sousa e que conta com a colaboração preciosa de muitos dos seus amigos. Os contactos com vista à constituição do júri do concurso já terminaram e o júri está formado, com três elementos do fórum, sendo que dois pertenceram ao júri do concurso de contos do ano passado.
O concurso tem sido amplamente divulgado nos espaços pessoais de alguns membros do «Ora, vejamos...», colaboração sempre muito bem-vinda para divulgar qualquer evento do género.

O envio dos poemas para o concurso começou às 12 horas do dia 1 de Março e termina às 12 horas do dia 31 de Março, horas de Portugal Continental.

Beijos com saudade e carinho.

maria m. disse...

esperança num lugar sem dores...

um Ar de disse...

Entrei nos dois bolgs e gostei imenso.

Não sei porque não i fiz há mais tempo... acho que por causa do tempo... precisamente.

Tenho um contencioso com este apriori...

Gostei, particularmente da "grafia". Mas, de tudo [de resto], também...

Até breve, quando o tempo me deixar voltar.

Maria Laura disse...

Concordo, as dores são verticais. Mas aqui facilmente se transforma a dor em beleza. Horizontal.

Mar Arável disse...

A poesia não resolve

levanta

em todas as direcções

herético disse...

a dignidade da escrita. aqui. onde os anjos levantam voo.

beijos

legivel disse...

... também tenho procurado. Mas, nem nas milhentas imobiliárias que existem neste país, por via das dezenas de telefonemas que já fiz, creio ser certo que exista tal lugar-imóvel (sinto grande desconforto a escrever em movimento) e já preparado com a mão dum anjo a apoiar-me a escrita.
Num dos últimos telefonemas, chegaram mesmo a chamar-me... anjinho. E que não gozasse com quem está a trabalhar...


beijinhos.

maria josé quintela disse...

suspeito que esta caligrafia tem a mão de um anjo...



assim.

arquivo

 
Site Meter