14.5.11

SOU POBRE



Sou pobre. Fui sempre pobre. Serei  pobre.
Tenho tudo o que quero. Tive tudo o que quis.
O brilho do ouro incomoda-me. Tenho o sol.
Gosto das peles dos animais enquanto vivos.
Não tenho nada.  Não quero ter nada. Tudo é meu.
Tenho os quadros nos museus. Tenho o colar de Nefertite.
Tenho tudo o que as montras me oferecem.
Tenho a relva em que caminho.
Tenho as florestas que conheço e as que inventei.
Tenho todos os países do mundo e poucos visitei.
Tenho a música que compuseram para mim.
Tenho os versos de todos os poetas.
Tenho a amizade que dou e o amor que vivo.
Tenho os olhos de esmeralda da minha gata.
Tenho uma casa do meu tamanho e nela acolho
os pobres e os ricos mais pobres deste mundo.
Não sou dona. Nunca fui dona. Não serei.
Tenho o mar e a maresia.
Sou o que não tenho.

Licínia Quitério 

12 comentários:

Justine disse...

És livre!

mariam disse...

Licínia,

,,, e o que tem é TANTO! Adorei as palavras :)

Fechei a caixa de comentários do http://mariasentidos.blogspot.com/ (um dia destes reabro), mas continuo a visitar o 'blogobairro' e embora ande parca no comentar, não me esqueci de Si nem dos outros(as)amigos(as).

um abraço e o meu sorriso de sempre :)
mariam

Benó disse...

"Sou filha das ervas verdes e neta das águas correntes".
Tens tudo o que sempre quiseste. Parabéns. És feliz.

Graça Pires disse...

Ser livre. Apesar de tudo. Apesar de nada...
Um beijo, Licínia.

Lídia Borges disse...

Licínia, um belo momento num poema tão adequado ao momento...
Uma visão do "ter" maravilhosa que se funde intimamente com o "ser".
De facto, tudo depende do ângulo através do qual se olha o mundo e as coisas. O seu é o meu olhar, por isso fico com pena de não ter sido eu a escrever este poema tão lindo!


Um beijo

Anónimo disse...

Somos, assim, a beleza da pobreza.
Na riqueza de SER.
Vai-se aprendendo, sem bens.
Beijinho L.
da bettips

Fa menor disse...

Quem tem tudo isso e assim o escreve, é rico!

Bjo

heretico disse...

não Ter, mas Ser...
e tu ÉS - muito!

belíssimo

beijos

Mar Arável disse...

,,, se tens o mar...

já é tanto

Bjs

Parapeito disse...

ser assim pobre...e ser afinal tão rica.
brisas doces para si***

M. disse...

A liberdade de se ser no ter.
Muito bonito.

sandrafofinha disse...

Gostei imenso deste poema,ele mostra que és uma pessoa livre e cheia de sentimento. Muito giro este poema!! Beijinhos fofinhos,fica bem amiguinha!!

arquivo

 
Site Meter