11.10.11

A PERFEIÇÃO




A perfeição não cabe
no cálice do peito.
Transborda, alaga os pátios
interiores, procura a foz
para morder restos de pedra,
rasgar as flores altivas
do silêncio, gritar o nome
da grande deusa das manhãs.
A perfeição é impiedosa.
Sufoca, agride, aperta,
é um amor selvagem,
uma garra de tigre, um
batuque no longe, um
hibisco a sangrar, uma
pomba, uma pomba a adejar
no coração.
Insuportável bem que não existe.

Licínia Quitério


7 comentários:

Alien8 disse...

Quase perfeito! :-)

Mar Arável disse...

Pelo sonho é que vamos

sempre

José Carlos Brandão disse...

A sua poesia sempre surpreendendo.
Obrigado.

Um abraço aqui do Brasil.

Lídia Borges disse...

Como um horizonte que se quer tocar e, porque se afasta à medida que andamos, faz-nos caminhar sempre...

Um beijo

M disse...

E no entanto desejamo-la procuramo-la.

© Maria Manuel disse...

sempre a buscamos, mas porque conceito tão absctrato e absoluto, sentimo-la distante, inacessível. como a felicidade. mas que isso não nos impeça de ver e apreciar a "perfeição" de um poema ou de um pôr-do-sol. e que seja motor impulsionador de sonhar, fazer, ir mais além :)

beijinhos, Licínia.

sandrafofinha disse...

Meu bem uma coisa é certa: nada neste mundo é perfeito. tudo tem defeitos,tudo tem qualidades. se a vida fosse perfeita nunca teriamos tanta vontade de viver e vencer. Os meus desejos é que se viva num mundo bom e cheio de esperanças de lutar por um mundo melhor. Beijinhos fofinhos!!

arquivo

 
Site Meter