5.2.12

A TERRA




A terra nos acolhe os passos e a alegria.
Lonjura é o tempo, não a terra. Essa nos guarda
a história, os desacatos, o colo e a carícia.
Um dia vamos e corremos a estrada e no sítio
aprazado há um abraço e um sorriso de mãos 
largas e o cansaço desfaz-se e nem dizemos
cheguei ou estou aqui porque sempre estivemos.
Cada homem um livro por abrir  até ao dia
em que uma flor garrida dele se desprende
e, rente ao chão, no tecido do sol a possuir
a terra, começa um canto, uma oração, um
soluço, um arrastar de móveis, e uma lenda
nasce. Era uma vez... a terra inteira e nós.


Licínia Quitério


5 comentários:

Anónimo disse...

Linda a história e a flor.
AIDA

Filoxera disse...

Na simplicidade a beleza.
Beijinhos.

Justine disse...

A terra e nós: uma unidade, mais cedo ou mais tarde!
(a foto está magnífica, poetisa)

M. disse...

Uma beleza, Licínia!

Mar Arável disse...

A terra

sem nós

arquivo

 
Site Meter