24.5.16

TENS TUDO


Tens tudo. 

Tens o vento de ontem, a chuva de amanhã. 
Tens o que sabes e é tanto. 
Podias se quisesses ter o comboio que te levou 
do princípio do mundo até ao fim do mundo.
Na asa da tarde os teus olhos vagueiam.
Vais rua abaixo e sorris porque tens um barco
lá longe carregado de vida, carregado de sal.
O teu contentamento é o vestido de luto
da andorinha a rasar-te a janela.
Incorrigível, estas histórias contas 
e as outras, das casas, dos bichos, 
das cidades, das mulheres, dos homens.
Contas até das horas que te vão contando.
Mentiras, muitas, de verdade poucas.
O que te importa é o céu ali à mão.

Licínia Quitério

1 comentário:

Mar Arável disse...

... e o chão de areia por entre os dedos

Bj

arquivo

 
Site Meter