11.4.17

OS LAGOS



Toda a gente sabe que os pássaros não nadam.
Voam e poisam nos altos ramos das altas árvores.
Os lagos estão ali para eles se mirarem e pensarem
(toda a gente sabe que os pássaros pensam) -
Olha um pássaro tão belo como eu.
Um dia dormirei abraçado àquele irmão.
É o que esperam todos os seres que voam
sobre os altos ramos das altas árvores
sem perderem de vista os grandes lagos
onde dormem os seus irmãos das águas.

Licínia Quitério

3 comentários:

Graça Pires disse...

As tuas palavras têm asas como os pássaros. E gostam do azul do céu e do mar. Como eu gosto de te ler... Uma Páscoa cheia de coisas boas, minha Amiga Licínia.
Um beijo.

Rui Fernandes disse...

É sempre bom e refrescante ler a tua poesia. Eu, aqui, de pássaros só oiço o piar. Voltei, fugazmente é o mais certo, para matar saudades. Estou a percorrer o meu livrinho de endereços e verifico uma alta taxa de mortalidade dos blogues. Uma brutal mortandade! O sítio do poema resiste. Parabéns. Beijinho.

Licínia Quitério disse...

Rui, é assim uma espécie de sobrevivência. Dele e minha. Beijinho.

arquivo

 
Site Meter