14.7.19

CHEGAMOS



Chegamos ficamos estamos
só nós e a paisagem.
Há-de haver uma hora
de saber o segredo
da respiração à nossa volta.
Um arfar de gigante,
um suspiro de riacho.
Tudo sem nome e sem tempo.
Só nós e a nossa ignorância
e o desejo de conhecer
o coração da terra
que pulsa dentro do peito
e às vezes diz ave
e às vezes diz criança
e às vezes cala
e a dor avança.

Licínia Quitério

1 comentário:

Graça Pires disse...

Às vezes é a grande inspiração de Poetas como tu…
Uma boa semana.
Um beijo.

arquivo

 
Site Meter