2.6.06

BOA NOVA




Pablo Picasso - Pomba

Sempre esperaste pelo carteiro.
Ele trará a boa nova.
Virá da outra banda desse mar
num raio de lua cheia em pleno Abril
nascida de rimas clandestinas
de frutos maduros de vogais abertas
da dança ritmada do namoro das aves
da branca intimidade dos poetas.
Virá ao arrepio de ventos e correntes.
Com cheiros de sal ou de suor
em papel dobrado envelope fechado
a boa-nova chegará.
Vale a pena esperares pelo carteiro.
Ainda que seja noite ele virá
chamar pelo teu nome como quem diz
destino ou trinca uma maçã.
Abraçarás a carta e não a abrirás
não vá voar de vez a boa nova.
Dormirás noite inteira e acordarás.
Deixarás de esperar pelo carteiro.


A figura do carteiro atravessa muitas histórias do nosso próximo passado. Em livros, em filmes, em canções. O carteiro tem sido uma versão profana do anjo anunciador. Da boa nova, de preferência. A pouco e pouco, vai cedendo terreno a outras entidades portadoras do anúncio. Chame-se "mensagem telefónica" que, à chegada, toca a campainha, ou "correio electrónico " que estampa, no monitor do computador, a imagem de uma cartinha fechada. Novas técnicas, velhos símbolos a darem corpo à mesma ideia: Estamos permanentemente à espera da "notícia" e o seu mensageiro, tenha a forma que tiver, causará angústia pela ausência e sobressalto pela chegada.
Desejo-vos Boas Novas!

Licínia Quitério

10 comentários:

DE PROPOSITO disse...

Os tempos são outros. Mas ainda hoje me apareceu uma carta para pagar (um seguro). Já está pago (o multibanco funcionou). Só funcionou porque ainda havia saldo. O maroto não faz milagres.
Fica bem.
Manuel

Era uma vez um Girassol disse...

Querida Licínia, as novas muitas vezes não são boas, dependendo do carteiro! Animaste-me com as tuas sábias palavras...
Bjinhos

Maria P. disse...

Eu sempre tive simpatia pela figura do carteiro.
Bom sábado vizinha.

JPD disse...

Nos tempos que correm, tem-se assistido a muitos assassinatos de mensageiros por via do inaceitável conteudo da mensagem.
Tu valorizaste o carteiro que toca duas vezes.
Óptimo!
Brevemente, os CTT já anunciaram, o carteiro passará a ser também por Email.
Bjs

legivel disse...

Porque de optimismo sou feito, aguardo sempre por boas novas...

... claro que uma vida que já queimou algumas etapas do seu percurso, também já recebeu aquelas que não são as melhores. Mas a vida não isso mesmo?!

Abraço para um bom domingo!

herético disse...

É verdade! ainda que seja um breve comentário num blog de nosso apreço. Gostei do poema...

alfazema disse...

Querida Amiga

Quanto gosto tenho aoler-te. O poema e a informação que se segue. Noutros tempos era o almocreve que trazia a boa nova . A vida é assim! Não pára e ainda bem. Olhemos para o futuro mas que nunca esqueçamos o passado.
Beijinhos

palmira8 disse...

espero por si noutro monte, porque o dos segredos não estava fácil de subir

Ana Luar disse...

rsrsrs acabei de rir pk me lembrei de que pensei o mesmo que o "de propósito" é que tb eu recebi a carta do meu seguro é só o que o raio do carteiro me trás.
Mas tenho saudades do cheiro das cartas de amor que eu recebia... do correr para o portão sempre que ouvia o meu nome...aii que saudades da carta entregue em mãos... com cheiro do perfume do amado, da amiga, ou até da familia... hummm que saudade!

jorgesteves disse...

O carteiro tornou-se, de facto, numa personagem mítica: pela memória (para alguns) de infância ou adolescência que arrasta consigo com todo o seu cotejo associado ou, nos dias de hoje (para todos), pela carência de boa nova que mitigue um pouco a realidade de desencanto, de incerteza e desalento.
Um tema para um poema e prosa perfeitos!...

amizade,
jorgesteves

arquivo

 
Site Meter