15.8.06

DA ALEGRIA


dizes-me alegria
e abro-te a janela do meu peito
onde se escondem ramos
de perpétuas roxas

vem colhê-las com os olhos

a aragem dum beijo
poderá magoar
o tule a seda o vidro
à beira de quebrar



Os nossos sentimentos podem ser tão frágeis quanto esta árvore que Klimt pintou, quanto uma folha seca entre as páginas de um livro. Que fazer da alegria ? Contemplá-la, segredar-lhe carícias, abrir a alma e dar-lhe guarida, se quiser. Quando for embora, poderemos abraçá-la com força. Uma boa lembrança é um animal vigoroso a desbravar caminhos.

Licínia Quitério

22 comentários:

Jardineira aprendiz disse...

Cultivá-la, regá-la, deixar sempre a porta aberta para que nunca se esqueça de entrar...

Peço desculpa de não ter vindo antes, há alturas em que ando despassarada e não reparei no seu comentário.

Gostei muito de conhecer este sítio!

Beijos

Era uma vez um Girassol disse...

Poema delicado, Klimt sempre belo.
A alegria,como nascente de risos e sorrisos, poderá contagiar outros, ajudar os mais tristonhos e depressivos.
Como diz a Jardineira, devemos cuidá-la...sempre!
Beijinho

FOTOESCRITA disse...

Este quadro de Klimt ilustra bem o que dizes sobre os sentimentos. Mas não é a fragilidade bonita? Tão bonita como os teus últimos 4 versos. Lindíssimo!
Deixo um beijo. Cuidadoso para não quebrar nada.

tb disse...

a fragilidade dos sentimentos quando corresponde a sensibilidade é uam fragãncia de pétalas de rosa...
gosto de vir aqui
Beijinhos

Catia disse...

adorei o teu blog, vou passar a visitar-te mais vezes :) continua com essa sensibilidade linda, solta a poesia que há em ti :)

beijinhos

bettips disse...

O poema é lindo e frágil, como Klimt. Passo para te deixar uma abraço, como estas amigas que conheço (e não) mas se encontram! Algo da tua alegria fica...podes ter a certeza!

DIAFRAGMA disse...

1896.
Mahler candidata-se a Director da Opera de Viena. Tem o apoio incontestado de Brahms, de Hans Rott, de Freud e muitos outros mas a mulher de Wagner, Cosima (filha de Liszt e separada do famoso pianista Hans von Bulow), criou um lobby fortíssimo contra a sua nomeação por ele ser judeu.
Entretanto Mahler, aos 40 anos conhece a pianista Alma Schindler, a “mulher mais bonita de Viena”, filha do pintor Schindler, numa festa. Tinha ela 20 e poucos anos e vivia com o já famoso pintor KLIMT uma paixão conhecida em Viena. Mahler apaixona-se por ela e escreve-lhe a sua “carta” de amor; o Adágio da futura 5ª Sinfonia (do filme Morte em Veneza). Quando leu a partitura Alma abandonou Klimt!
Decide aliás abandonar a sua carreira de pianista e compositora de sucesso para se dedicar totalmente a Mahler.

Maria P. disse...

Olá Lícinia os nossos pensamentos tocaram-se, sem se quebrarem. Que bom, à coisas sem explicação...

Fica bem, vizinha, beijinho de Maio um pouco cinzento.

JPD disse...

Muito bonito, Licínia
Bjs

Hortência disse...

linda a última frase dita sobre a lembrança, a comparação é sabia e exata.
um grande abraço,
Hortência

vida de vidro disse...

Tão suave, tão doce, tão sensato! Sinceramente adorei o teu post. **

Ana Prado disse...

Gostei mesmo. Palavras e imagem perfeitamente casadas:)

FOTOESCRITA disse...

"Este roxo.. Uma ferida na pele da noite." Exactamente, Licínia, foi assim que senti. É bom quando as pessoas se encontram nas palavras. :-)
Um beijo. Bom fim-de-semana.

Marco Magalhães disse...

Muito bonito. Gostei do que li.

Teresa David disse...

gosto bastante do klimt e até já o usei para escrever alguns textos mais poéticos e outro não tanto, mas também há mto empreendi a caminhada de fazer das fraquezas forças, caminho este em que me sinto vencedora pois me trouxe uma enorme paz, malgrado alguns danos que tenho no corpo que me dão amargos intensos. Mas não lhes dou confiança!
Voltei ás palavras e postei um pensamento sobre pessoas em jeito de metáfora. Quando quiser ver lá a espera na minha casa virtual.
Um abraço
Teresa David

o_rapaz disse...

Sim, os sentimentos são tão frágeis quanto nós próprios quando os sentimos. Não é fácil cuidá-los. Exige esforço e dedicação. Saudade e compreensão.

É bela a forma como encaras a vida e as letras. É doce a forma como a contas.

Um beijo

Tons Pastel disse...

passar por este cantinho é sempre um prazer. Um duplo ou um triplo prazer: pela mensagem, pelo poema, pela imagem. Saio sempre mais rica do que quando entrei.
Beijinhos muitos

OvelhaNegra disse...

Finalmente aqui estou. Dizendo:«Azul» com um sorriso nos lábios e dando-te um beijo na face.
Obrigada pelas palavras que me tens escrito. :)
Esta nossa Ericeira rouba-me o tempo para as minhas bloguices. Sabes como é. :)
A alegria...
Sabes...se a encontrares, envia-a para mim...
Tenho «fome» dela.
Um sorriso e um beijo*

Seila disse...

Obrigada pelas suas palavras. um bom fds.

Henrique Doria disse...

A alegria é a árvore da vida. é por isso que somos todos tão tristes.Beijos.

herético disse...

poema de vibração subtil, como tule esvoaçante. ou uma alegria breve...

gostei muito.

.*.Magia.*. disse...

Olá,
Os sentimentos são feitos do muito que temos para dar e perdem-se no pouco que pedimos em troca, quando nada temos!

Beijos Mágicos!!!!!

arquivo

 
Site Meter