30.11.06

DO MAR


foto de L.Q

Não basta olhar o mar.

É preciso forçá-lo

a ser as nossas lágrimas.
Mergulhar nele os astros

há muito adormecidos

na franja do tapete.

Recuperar o sal

e semear a praia.

Esperar pelas algas

e entrançar os cabelos.

Beber no côncavo da onda

e afastar os peixes.

Não pronunciar escamas.

Antes pétalas.

Sempre dizer mergulho

e não naufrágio.

Somos velas em terra.

Porque não navegar?


Vagueava pelo doirado da praia, com as sandálias na mão, a baloiçar. Afagava maternalmente um cão que corria ao seu encontro. Baixava-se e apanhava conchas. Devolvia-as ao mar e a boca desenhava um sopro, ou um beijo. Acenava às gaivotas com braços brancos como lenços. Sempre sorria quando olhava o céu. Deixava um rasto leve nas areias, como se pena fosse. Não sei a cor dos olhos, dos cabelos. Podiam mesmo não ter cor, como se diz da água. Bailava em torno de uma pedra baça e nela acendia brilhos de fogueira. Pisava rendas de espuma e uma poalha de estrelas lhe salpicava a leveza da saia.
Há quanto tempo a não vejo. Vou perguntar ao mar se ma levou.

Licínia Quitério

31 comentários:

pianola / Sonia R. disse...

Sida, 25 anos depois. Bom dia.

Muito bonito.

pintoribeiro disse...

Sempre. Abraço,

batista filho disse...

Amiga, que tanto ama o mar: mais um poema de puro encantamento, o teu! Grato pela partilha... como disseste que "Não basta olhar o mar./É preciso forçá-lo/ a ser nossas lágrimas"... lembrei:

As lágrimas de todo mundo caem
uma a uma, no mar da minha aldeia.

N'outra aldeia, d'outro lado do mundo, alguém pensa:
uma após outra, todas as lágrimas do mundo
caem no mar da minh'aldeia.
...
O mar absorve o sal das lágrimas
depois, sem pressa, mir'alto.
E enquanto sonha estrelas
gota a gota tece nuvens
cada vez mais densas
até chover um mundo de água doce
acalantando cada coração
em cada aldeia, no mundo todo.

O mar... o mar não chora lágrimas salgadas.

E tu, Licínia?

Maria P. disse...

O Mar, o mais fiel companheiro, ouve os nossos segredos e chora as nossas lágrimas, as mais salgadas...

Beijinho amiga:)

maria alice disse...

Desculpa esta intromissão.
No meu blog, tenho uns chapelinhos muito bonitos, nos quais podes estar interessada.
Vai lá ver e fala comigo!

António Melenas disse...

Quanta inspiração! É isso: ver sempre o que está por detrás dquilo que os olhos vêem. Bonito.
bjs.
António

Mariana disse...

Nossa, que imagem e que poema lindo!Abraços
Mariana

Mendes Ferreira disse...

aqui estou . a navegar neste mar de expansivas palavras.


mesmo quando parece que não estou estou.


beijos.

Era uma vez um Girassol disse...

O mar é uma fonte de inspiração e ao mesmo tempo torna as nossas mágoas mais leves, carregando-as consigo.
Um gosto precioso vir aqui.
Beijinho

gato_escaldado disse...

Gostei muito do poema. Carregado de belas imagens. E do texto, com certo gosto nostálgico.

Beijos

Pedro Branco disse...

Tão cuidadas e mágicas as palavras por aqui. Sinto-me bem.

FOTOESCRITA disse...

Soltaste palavras belas a condizer com a fotografia.
Um beijo.

legivel disse...

... ligou-lhe mas apenas ouviu uma resposta gravada que dizia «o número para onde pretendeu ligar, encontra-se de momento ocupado; tente mais tarde, obrigado». Pensou que estivesse em reunião familiar de urgência, pois nos últimos tempos tanto se tinha maltratado a água no planeta, que havia que tomar medidas drásticas no sentido de obviar tão dramática situação. Voltaria a tentar mais para o fim do dia, por altura da baixa-mar e bem podia ser que as coisas estivessem mais calmas.
Passou o olhar mais uma vez pela praia deserta e começou a divisar um ponto negro que se aproximava a correr no areal ao seu encontro. Era o seu cão que costumava afagar maternalmente. Tinha-se encontrado a ela própria e logo ali, sem mais delongas, agradeceu ao mar um apoio que nem tinha sido necessário prestar pois bastou-lhe acreditar que "navegar" é preciso...



óptimo fim-de-semana!

JPD disse...

Gostei muito destes textos.
O mar é uma fonte de inspiração inesgotável, provavelmente por só na aparênciua se repetir. Sabemos que não.
Tão facilmente é afável como, embrutecido, tudo destroi.
:)*

Serpente Emplumada disse...

Gostei do teu blog, é a primeira vez que o visito...E sabes que mais? percebi que pousas o teu olhar sobre variados temas, tal como no meu blog, semelhança que nao tenho achado nos restantes! praticamente todos vedam o seu olhar a um unico sujeito...devia haver mais blogs assim, e com um toque bastante próprio nas palavras, voltarei

Velutha disse...

...e é tão bom passar por aqui!
Obrigada amiga! Saio satisfeita, cheia com o teu poema e o texto que o acompanha. Excelente combinação!
Beijos

Teresa David disse...

É tão bom ter o prazer de encontrar qualidade no que se lê! E aqui neste "sítio2 encontro-o sempre, particularmente neste post magnífico.
Bjs
TD

the postman disse...

Não chega gostar das coisas.... fazer parte delas é que nos preenche.

Bandida disse...

..." É preciso forçá-lo..."

Desconfio que por aqui as transparências são enormes nos azuis...





beijo.
_______________________

Maria P. disse...

Olá amiga!

Prova as nozes são oferecidas com prazer!

(hoje andei atrás da lua em redor do Convento, depois mostro!)

Boa semana!

Cusco disse...

O meu melhor comentário: Este fim-de-semana estive na praia e quando a minha filha rodeada por centenas de gaivotas saltava de cabelos ao vento, lembrei-me de ti.
Sem te conhecer era como se estivesses ali..

pintoribeiro disse...

Abraço.

Luís Galego disse...

que bom saber escrever assim....

vida de vidro disse...

No mar nos perdemos e nos encontramos. E, de alguma forma, nele projectamos os nossos estados de alma. Como gostei de te ler! **

o feiticeiro da brisa disse...

há musica nas tuas palavras, adorei, volto


Suave beijo

Shikumi disse...

Gostei do poema, muito bom, passa no meu se quiseres ;)

Sandra disse...

"Não basta olhar"

Por vezes, desvio intencionalmente o olhar. Faço-o porque sinto...e não quero que me doa mais...que posso fazer...eu... Mas lendo o que escreves, minha amiga, nasce aquela vontade de gritar, de lutar de mudar, eu sei lá, de navegar!...

Beijinho

agua_quente disse...

E como as tuas palavras me deram vontade de ir até lá abaixo, ver este mar que ainda é um pouco rio!
Vir aqui lava a alma.
Beijos

herético disse...

é preciso forçar mar. e tam´´em a vida. até as escamas florirem. excelente poema, amiga. excelente!

bettips disse...

Um sopro de nós (só pode ser uma mulhar, com sonhos e saia) tão bonita. E um poema fundo como ao longe é a água. Bjinho

ana prado disse...

Senhora, que posso dizer?:)

arquivo

 
Site Meter