18.12.06

O CIRCO

Círculo de Cor, de August Macke

Desta vez é que vou
encontrar o lugar
que possa partilhar
com a pomba e o leão,
o camelo e o cão,
a menina bonita
de doirado despida,
o cavalo a correr
e a menina a aprender.

Senhoras e Senhores,
público respeitável,
vamos todos viver,
numa noite notável,
o maior, o maior
espectáculo visto.

Chapéu de sol e estrelas,
muita cor, muita luz.
Os bancos são de pau,
a música não para
e nesta grande nau,
redonda como o sonho
de todas as infâncias,
o coração aquece
e nós temos os olhos
e os ouvidos atentos
a tudo o que acontece.

Aqui não há distâncias
entre nós e o palhaço
que tropeça, tropeça,
sem chegar a cair
e que chora em repuxo,
a fingir, a fingir.
E os miúdos a rir
e os graúdos a rir.

Desta vez é que vou.
Vou partir com o circo.
Vou tocar o trompete,
vou vender chiclete.
Pinto as unhas de verde,
calço as botas de cano
com que sempre sonhei,
ajudo a desdobrar
o tapete do mágico
com que vai ocultar
a hora de cortar
a mulher deslumbrante
em três partes distintas.
E o público a pensar:
se algo correr mal,
como é, coitadita,
quem a vai consertar?
E eu por dentro de tudo
a saber como é.

Desta vez é que foi.
Já tenho o meu lugar
neste mundo em viagem,
bem dentro da miragem
que só tem uma margem:
a do lado de lá,
onde a pomba e o leão,
o camelo e o cão,
conhecem a Mimi
a trepar pela corda
e a acenar com um lenço,
e o palhaço que chora,
e o menino que ri,
e a menina bonita
no cavalo a correr.

Fui com o circo de vez.
Quando me anunciar,
o homem do turbante
vai dizer como faço
um número importante:
“Se subir é difícil
descer é bem pior!”
E o rufo do tambor
a engrossar o tremor
nos assentos de pau,
nos remendos da nau
que amanhã partirá
p’lo mundo, onde haverá
sempre alguém a dizer:
(baixinho é bem de ver
não vá alguém ouvir)
Vou partir com o circo,
desta vez é que vou,
ninguém me irá deter.

É entrar, é entrar,
meus senhores, é entrar!
O maior, o maior
espectáculo visto
não tarda a começar!!


Num registo um pouco diferente do habitual, hoje convido-vos para uma ida ao circo. O maior espectáculo do mundo anda por aí. Se eu demorar um pouco mais, não se assustem. Talvez me tenham passado a chamar Mimi. Por uns tempos. Só por uns tempos. Entretanto, que a Magia vos acompanhe.

Licínia Quitério

27 comentários:

aquilária disse...

encantada com o convite, minha cara Mimi-la-Jolie!!!!

para quando, o embarque? estou impaciente.

grande abraço.

aquilária, La Petite Garçonne de la Trompête.

:)

herético disse...

reservo uma cadeira na primeira fila. e prometo declamar o teu poema. fazendo de palhaço pobre...

JPD disse...

FELIZ NATAL!

caminante disse...

Cara Licinia, la vida es un circo. Y son necesarios payasos que hagan reir, que intenten poner sonrisas, robar tristezas y devolverlas hechas alegría.
Acepto la invitación, quiero ser sembrador de alegría.
Un fortísimo y navideño abrazo.

GTL disse...

minha querida Licinia, o Pai Natal passou pelo meu blog e pergunta que prenda queres.
beijos MDB

Cusco disse...

Um Santo e Feliz Natal.
Até breve..Se Deus Quiser.
bjs

bettips disse...

Malgré tout...il y le cirque!
Um grande abraço, tens uma versatilidade (acutilante), um espanto ler-te!

Maria P. disse...

Excelente ideia!

Boas Festas amiga, beijinho:)

FOTOESCRITA disse...

Mas que ironia...

Ana Maria disse...

Bem que gostava!

APC disse...

Se demorares um bocadinho mais, é porque a tua vida precisou de ti um bocadinho mais também. É natural. E bom!
O poema está incrível. Li-o duas vezes antes de te escrever, e não me vou sem uma terceira.
Vim também agradecer-te a presença tão afável e o incentivo, não querendo que a minha posterior ausência surpreenda quem faz o favor de me acompanhar tão bem.
[Já agora - apaziguando - o amargo "ali" era passado, o presente doce, muito! :-) Com dois tempos distintos a cruzarem-se, e certamente que pelo meio algo de "vou partir com o circo, desta vez é que vou, ninguém me irá deter" se passara... De outra forma não seria possível! :-)].

Ça y est!
Grata pelo momento onde "não há distâncias entre nós e o palhaço"...
"O Palhaço é um Poeta em acção".
(Henry Miller, in o Sorriso aos Pés da Escada).

Um Bom Natal, uma Vida Feliz e um Grande Abraço!
Paula

{{coral}} disse...

Belo convite, já tenho saudades de levar os meus filhos ao circo...
Desejo um Santo natal, e que 2007 seja melhor em paz, e muita luz para as almas.

{{coral}}

TINTA PERMANENTE disse...

Há cores e há luzes, há trapézios e tapetes, palavras e silêncios. A memória é o espelho onde se acham os ausentes...
Aqui, a magia do Circo escorre da poalha dourada do poema...
(não são precisas palavras novas; perduram ecos)

batista filho disse...

Mimi? Tu?! Estás mais pra Magia, amiga querida!
Tudo de bom pra ti. No Natal a magia, o encanto do Circo: valeu!
Um beijo carinho e agradecido por todas as partilhas maravilhosas que encontramos por cá.
Inté.

Rui disse...

Pós de perlimpimpim andam pelo ar.

puf

(bj)

legivel disse...

... à margem deste post -que estou de férias do virtual, direi que

comovido fiquei eu com as palavras que deixaste no "fantasias". Os meus textos só são possíveis porque a maioria de quem os lê e comenta (e pela qualidade dos seus posts), me desafia a desenvolver (no meu entender) um interessante, gostoso e lúdico diálogo.
"Sem fantasia" de espécie alguma, eu é que me sinto honrado por dialogar com a autora de um dos blogs mais bem conseguidos que vou lendo desde que cheguei à blogsfera.

Votos de boas festas e um abraço de amizade virtual do

Alberto Oliveira.

blugaridades disse...

Espero Mimi que o teu regresso não tarde. Também gosto de poesia e fiquei deslumbrada com "O Circo". Ontem, hoje e sempre! Lembrei-me dos dias passados no Coliseu de Lisboa, encantada com os palhaços, agarrada às mãos da mãe.
Um beijo. Um Santo e Feliz Natal!

alice disse...

querida licínia. especialmente para lhe desejar um santo natal. genuíno momento de reconciliação. que estes dias sejam realmente felizes para si. sinceramente. um beijinho.

DIAFRAGMA disse...

Afinal, o melhor Circo está aqui.
Trepidante, ofuscante, trágico e cómico. Cheio de vida.

agua_quente disse...

Feliz Natal e um óptimo 2007. Com magia!
Beijos

DE PROPOSITO disse...

FELIZ NATAL e BOM ANO NOVO.
Manuel

.*.Magia.*. disse...

Licínia,para ti, uma prenda!
O meu sorriso!

Kalinka disse...

Em Portugal, a tradição repete-se um pouco por todo o país, embora nas grandes cidades tudo se passe numa atmosfera essencialmente cosmopolita. As ruas iluminam-se de lâmpadas translúcidas e cintilantes como auroras boreais. Dir-se-ia que as luzes trémulas aquecem os corações mais cépticos e solitários.
No dia vinte e quatro ao final da tarde, HOJE toda a família se reúne. Alguns deixam as cidades e partem para o campo. Outros atravessam o mundo para voltar ao seu país, por poucas horas. Fazem-no com a esperança de reviver lembranças de uma vida.
Sensivelmente por volta das vinte e uma horas, a grande família reencontra-se à mesa: bombons de cores e sabores variados para os mais pequenos, frutos secos e cristalizados para os mais crescidos.
Come-se o tradicional «Bacalhau à Portuguesa»: bacalhau cozido, batatas, couve portuguesa, cenouras e ovos. Tudo, acompanhado generosamente pelo bom azeite.
Chega então a sobremesa! Uma enorme mesa, pródiga das mais belas iguarias da doçaria portuguesa: rabanadas, aletria polvilhada e aromatizada com canela, farofas, fios de ovos, sonhos, pudim conventual de ovos... Excêntricos requintes para o paladar!
O célebre Bolo-Rei partilha desta tradição e os mais velhos e apreciadores acompanham-no com um cálice de perfumado vinho do Porto.

À meia-noite, tocam à porta... e o Pai Natal - um familiar disfarçado por trás de uma longa barba branca e vestido a rigor - faz a sua entrada, soltando o tradicional e esfuziante:
- Ho! Ho! Ho!
Os miúdos despertam, e enchem os olhos de estrelas brilhantes. Os gritos de espanto, alegria e excitação espalham-se pela casa. É o momento mais belo da noite! A hora do encantamento!!
Depois, cada um regressa a suas casas...
A mesa deixa-se posta e guarnecida. O frio gela... mas as mãos aquecem nos afectos e os olhos transformam-se em estrelas tremulares de mil tons e transparências de cristais.
BOAS FESTAS. Beijos e abraços.

Maria P. disse...

Bom dia amiga!
O Natal já passou...é sempre assim, agora vamos pensar no 2007, que seja feliz!

Beijinho:)

Frioleiras disse...

BOM ANO !!!
Paz,
Saúde,
Amor,
Amizades,
Magia,
Arte
e
Música !!!

girassol disse...

Aqui, assim, Apeteço-te Felizes todos os dias, que não só estes em que todos transpiram a euforia que no resto do ano retraem dentro de si próprios.
É preciso construir os dias na Esperança de que a Luz faça o caminho para a Felicidade.

Um beijo em ti.

(hei-de voltar. têm sido tempos muuuuuuuuito atarefados, como deves calcular pelas mudanças anunciadas, mas tudo está indo al lugar, voltando ao sossego...)

legivel disse...

Estimada Mimi:

Hoje comprei um bilhete (num dos lugares da frente) para a ver naquele que dizem ser -e os anúncios assim o reclamam, o espectáculo que chegou ontem à minha cidade, "o maior, o transcendental, o fenomenal e incontornável número de uma amazona e os seus 20 (vinte!) cavalos selvagens!"
Aqui para nós, Mimi, nunca esperei vê-la a actuar num circo. Que a gente habitua-se às suas letras e não a imagina de pé! no dorso de um daqueles enormes bichos. É a imagem que o cartaz mostra, como deve saber... com um faz-tudo no meio da pista olhando-a com ar incrédulo.
Mas como já nada me surpreende, às vinte e uma e trinta lá estarei a vê-la actuar e depois desejar-lhe um Ano Novo muito feliz e que deixe o circo, os equídeos e o faz-tudo e volte ao grande circo da blogosfera para a gente dialogar um bocado mais.

Até 2007 (que é já ali à esquina... )e um abraço do

Legível

arquivo

 
Site Meter