3.1.08

CENÁRIOS IMPROVÁVEIS










Mãe,

Posso ir brincar naquele monte azul, ao longe? Não o vês? Depois do mar. Antes do céu. Lá vivem meninos felizes com os olhos postos na nossa praia. Mandam-me recados por um albatroz. Eu não me demoro, Mãe. Vou numa maré e venho noutra. Achas que não é um monte? Como os teus olhos estão fracos. Faz como eu. Deita-te no chão, de costas. O que vês lá em cima? Isso mesmo. Um lago muito grande onde se miram nuvens vaidosas. Apetece-te mergulhar nele? Que bom, Mãe. Há quanto tempo não brincavas? Agora dá-me a tua mão e fecha os olhos. E diz comigo: um-dó-li-tá quem-está-livre-livre-está. Outra vez. Mais alto. Outra vez. Mais alto ainda. Não deixes a minha mão. Grita, Mãe. Quem-está-livre-livre-está. Agora abre os olhos. Chegámos, Mãe. Como é belo o monte azul. Sorri aos meninos, Mãe. Sorri. Amigos, esta é a minha Mãe que mora comigo além do lago. Trouxe-a para brincar convosco. Não, não é um anjo. Fica assim bonita quando fecha os olhos e me dá a mão. Sim, viremos aqui muitas vezes. Antes que os nossos pés desapareçam nas areias.

É hora de voltarmos, Mãe. Diz comigo: um-dó-li-tá...


Licínia Quitério

18 comentários:

hfm disse...

Sublime.

Bom ano!

Teresa David disse...

Belo conto onde nos sentimos todos regressar á infância e a um verão por mim tão desejado, pois o inverno destroí toda a harmonia do meu corpo.
Mais um belo momento a leitura destas lindas palavras.
Bjs
TD

Maria disse...

Comovente, com lágrima e tudo...
Bom ano para ti.
Um beijo

JRL disse...

Muito bonito, Lícínia Quitério. Muito doce. Um bj

Ana disse...

Fizeste-me ver esse monte azul, o lago grande onde vivem meninos felizes. Por vezes, esquecemos que eles existem.
Belo o sentir e a forma de o dizer.
Bom ano para ti, Licínia.

batista disse...

"... um-dó-li-tá: quem-está-livre-livre-está."
"... Antes que os nossos pés desapareçam nas areias", guiado não sei porque mão, por cá cheguei. Desde então tornou-se porto obrigatório.
Um abraço fraterno.

un dress disse...

marcas da alma nos pés.

marcas ao pé da alma.

lengalenga de areia.





bOm anO...beijO

maria m. disse...

fiquei comovida...

lindo, excelente conto, pleno de poesia e encantamento!

M. disse...

Tão bonito, Licínia!

Graça Pires disse...

Licínia, é comovente este teu texto. Também consegui ver o monte azul. Depois do mar. Antes do céu.
Um beijo

herético disse...

"um-dó-li-tá quem-está-livre-livre-está". sempre. contigo.

sublime. doce e terno

Maria Luar disse...

Deixa ficar comigo a madrugada
É noite de lua cheia

abracinho

*
xi
*

Maria Laura disse...

Cenários que nos transportam ao que existe de melhor em nós. Tu tens esse poder.

cuotidiano disse...

Gostei muito, mesmo muito. "Sublime" talvez seja a palavra.

Um beijo

Marinha de Allegue disse...

Fermosa escolla de palabras sabiamente aparexadas!!!.

Unha aperta.
:)

O Profeta disse...

Brincas com as palavras com a maestria dos seres especiais...


Doce beijo

bettips disse...

"Viemos a correr, com as lembranças de lagos, nós as nuvens de verão. E encontramos uma Mãe pela mão terna duma menina a sonhar. E chovemos porque quisemos chorar".
Beijinhos L., que este divagar tão belo nos toca como asa.

legivel disse...

... não é que me vá muito ao feitio, mas uma vez por outra -é o caso vertente, sabe bem apenas ler-te e degustar as palavras, ajustando-as (como num puzzle) aos cenários que por aqui vais deixando. Assim sendo, hoje não há ironias. Arrumo o arco e a gancheta, limpo as mãos (arranhadas do último malho que dei), aos calções e entro no meu quarto para fazer o resto dos trabalhos para casa. Amanhã, regresso a Janeiro de dois mil e oito.

Um beijinho miuda.

arquivo

 
Site Meter