18.3.08

ERA OUTRO O TEMPO























Era outro
o tempo de darmos as mãos e
acolhermos o berro dos pavões
no recorte sombreado das tílias

Do fragor do leque dos pavões
abalando a moleza da tarde
guiando o desenho da pele
por entre o desalinho dos sentidos

Era outro
o tempo em que chorávamos
abraçados na dança dos pavões
ou tombávamos ébrios
porque as tílias estavam em flor


Licínia Quitério

19 comentários:

Rui disse...

E o tempo, volta p'ra trás?

Graça Pires disse...

Era outro o tempo em que chorávamos abraçados na dança dos pavões ou tombávamos ébrios
porque as tílias estavam em flor

Excelente poema. Gostei mesmo muito.
Um beijo e obrigada pelas palavras que tens deixado no meu espaço.

maria m. disse...

muito bonito, Licínia!

hfm disse...

Entre palavras e imagem fico-me noutro tempo.

Maria Laura disse...

Era outro, o tempo... E ficam-me as lembranças desse tempo, no meio das tuas palavras e dessa beleza de imagens.

Boa Páscoa!

Teresa David disse...

Vi o movimento das belas penas dos pavões através do dançar das tuas palavras.
Poema de qualidade e beleza como sempre.
Um abraço amigo e boa Páscoa
TD

M. disse...

Lindíssimo, Licínia!

Maria P. disse...

Muito bonito.

Beijinho*

batista disse...

é, o tempo não volta... mas o barco que leva é o mesmo que traz.

tuas palavras, Amiga, barco, caminho, que nos levam numa ou noutra direção: futuro ou passado. presente?! também, é claro, rss! valeu!!!

era outro, o tempo, ele sabia... e quando parecia esquecer, o calendário, o relógio, a alternância noite/dia, os quilos a mais, o branquear dos cabelos... lembravam-no, de forma inapelável que era outro, o tempo... mas porquê, quando fechava os olhos, mesmo a milhares de quilômetros do mar, o cheiro da maresia, o canto do vento nos carnaubais... se entranhavam nas narinas e ouvidos?

Mar Arável disse...

As minhas tílias

ainda não rebentaram

vou ler-lhes o seu poema

Talverz

Amaral disse...

Uma Páscoa santa e feliz!
E muitas guloseimas que inventem muitos outros doces momentos..

Maria P. disse...

Feliz Páscoa vizinha!:)
Beijinho*

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

De férias e com mais tempo para visitar os vizinhos bloguers, encontrei aqui um momento único de rara beleza. Uma maravilhosa imagem e belas palavras conjugadas com mestria.

Um beijo e boa Páscoa

Kalinka disse...

_♥♥_♥♥
_♥♥___♥♥
_♥♥___♥♥_________♥♥♥♥
_♥♥___♥♥_______♥♥___♥♥♥♥
_♥♥__♥♥_______♥___♥♥___♥♥
__♥♥__♥______♥__♥♥__♥♥♥__♥♥
___♥♥__♥____♥__♥♥_____♥♥__♥_____
____♥♥_♥♥__♥♥_♥♥________♥♥
____♥♥___♥♥__♥♥
___♥___________♥
__♥_____________♥
_♥____♥_____♥____♥
_♥____/___@__\\___♥
_♥____\\__/♥\\__/___♥
___♥_____W_____♥
_____♥♥_____♥♥
_______♥♥♥♥♥

PÁSCOA FELIZ.

AMIGA LICÍNIA

ANIVERSÁRIO do meu «kalinka».
Faz 3 anos.
A Festa continua, acabámos de cantar os Parabéns, mas...a mesa está posta, estou aqui para receber os convidados.

Convido-te para a Festa e aproveito para dizer:
OBRIGADO pela amizade, pelo carinho, pela ternura.
OBRIGADO!

Beijinhos de estima.

Perdido disse...

Ai, a flor da tília!

O seu esvoaçar é como o tempo: vem do futuro até nós e vai abater-se na penumbra do solo e mergulhar no negrume da noite.

Se a instilamos, apodera-se de nós uma embriaguez que nos faz chorar, dançar, tresloucar.

Ao largo rodopiam as penas com que nos pavoniamos.

TINTA PERMANENTE disse...

É (será?...) o tempo de todas as Primaveras?...

Boas Páscoas, amiga!

abraços!

Licínia Quitério disse...

Para agradecer os vossos comentários e bons votos. A todos envolvo num abraço de luz.

Marinha de Allegue disse...

Era outro o tempo, o tempo sempre muda...

Fermosas palabras.
Unha aperta.
:)

herético disse...

são belos os (teus) pavões. e coloridos os tempos de então...

gostei muito.

arquivo

 
Site Meter