11.10.08

IRONIAS

Eu nunca escreveria sobre gatos.
Sobre o seu pelo macio e o seu mau feitio e a sua proverbial independência.
Há gatos que passeiam pelas vagas inspirações dos poemas e pelos inesperados desacordes dos teclados.
Muito se fala do sorriso esfumado do gato de Chester e muito se ignora a aflição de Alice.
Há os gatos elegantes da infância e os gatos rechonchudos da velhice.
Há famosos pintores de gatos e gatos que ninguém sabe como entraram na tela.
Há gente que perde tempo a falar de gatos, dos seus gatos, e das pobres pessoas que nunca tiveram um gato.
Há gatos que se instalam nas páginas de um texto e esfarrapam as melhores intenções do seu autor determinado a não falar de gatos.



Licínia Quitério

25 comentários:

heretico disse...

pois é - os gatos têm sete vidas (dizem). e são uns penetras - aparecem mesmo quando não são convidados.

o texto está excelente. como sempre.

beijos

Vanda disse...

Licinia,

eu acabo sempre a ler os teus textos com um sorriso. Umas vezes, levas-me a imaginar paisagens distAntes e frias, outras, a enternecer-me, outras ainda a encontrar uma graça, assim uma graça "felina", como hoje.

Já escrevi um pequeno texto, que aborda ao de leve uma "idosa senhora" que vivia sozinha com os seus gatos...vejo-me por vezes nela, ou encontro-a às vezes em mim, embora não tenha (ainda?) um gato...mas tive muitos na mnha infância. Todos os que apareciam no quintal da minha tia. Levava os mais pequenos escondidos sob a minha camisola, quando me obrigavam a fazer a sesta. De quando em quando tinha a sorte de apanhar um, naqueles momentos de "ron ron". Sabes? quando aceitam todos os afagos que as mãos de uma criança são capazes de inventar. Graças a um deles, fui contagiada com a toxoplasmose. Nada de grave.

Todas as brincadeiras com os gatos vadios dos quintais, valeram pelo susto de muitos anos depois :)


Que mais te dizer? Gosto de gatos e gosto de te ler.

Beijo e um bom domingo!

Mar Arável disse...

Gatos só no seu texto

como farpas

Gostei

Maria disse...

Gostei deste gato intruso que me olha desconfiado...
Excelente post. Como é hábito...

Um beijo

Helena disse...

Da fina ternura com uma ponta de irnonia. Belíssimo texto.

legivel disse...

... difícil difícil é escrever sobre girafas: ocupam-nos o espaço todo da folha apenas com o pescoço. Tendo dedicado a minha vida a escrever sobre animais (e para os animais) poderia aqui deixar alguns testemunhos interessantes como o daquela hiena que não achou piada nenhuma quando deixei preto no branco que "muito riso pouco siso" ou do elefante que me fez uma espera na Gorongoza por eu ter -num pequeno conto, chamado trombudo a um da sua espécie. Mas o meu leitor mais fiel é mesmo um gato. O meu gato. De seu nome Aliá. Devora tudo o que escrevo... desde que tenha em cima da folha A4 um carapau fresquinho. E há dois dias, saltou-me para o ombro quando eu escrevia sobre pombos e uma gaivota. Até os bigodes se lhe riam...

beijinhos e sorrisos.

maria m. disse...

ainda bem que aqui se instalaram alguns gatos; deram-nos este belo texto!

vida de vidro disse...

Um texto de uma ironia deliciosa. Eu adoro escrever sobre gatos!! :)**

CNS disse...

Não gosto de gatos. Mas ficaram excelentes neste texto!

um beijo

João Norte disse...

Para quem não queria falar de gatos, aqui está um grande textos sobre gatos. É caso para dizer : aqui há gato!...

Graça Pires disse...

Este gato instalou-se mesmo na página do teu texto.
Um beijo

Filomena Barata disse...

lembraste-me os gatos do Mário cesariny e Vieira da Silva (desculpa se pareço literária), mas bela é a correspondência.

Um bjo. Temos que dar uma abraço à nossa gata mor.

Maria P. disse...

Magnífico!, como seria de esperar...:)

Beijinho*

hfm disse...

Na Linha de Cabotagem há algo para si.

mena m. disse...

Contra o chame dos gatos, ainda não há antídoto!

Delicioso o que escreves!

Atirei-te uma lança do Menarazzi e pergunto-me se já terá chegado aí...

Vieira Calado disse...

Nunca escrevi sobre gatos.
Mas tenho um livro sobre um cão.
De qualquer maneira "são criaturas de Deus"
Bjs

Rodrigo Rodrigues ("Perdido") disse...

Olhem para a carinha do bichano e meditem. Vá, façam um esforço e olhem mesmo!

(Cuidado! Atenção! Devem fazê-lo numa imagem nunca num gato real que pode sentir-se ofendido.)

Passei muito tempo, quero dizer MUITAS HORAS, a olhar para o rosto dos bichanos.

Convivo com muitos gatos, dezenas. Vão e vêm; entram passam e saem; estão nas nossas vidas sem estarem enjaulados nelas.

É difícil falar em gatos no plural. Cada gato é um gato. Digamos, cada gato é uma pessoa. De certo modo, nós, humanos, parecemo-nos com eles. Há indivíduos humanos que são pessoas.

É mais fácil fazer um romance com pessoas felinas do que com seres humanos. Fornecem quantidades de caracteres de excelente qualidade, escalas de emoções de impressiva acuidade, sentimentos profundamente calmos e paixões explosivamente violentas, pensamentos profundos e cogitações etéreas, muita acção no dealbar e na alvorada e muito sono na pacatez do sol alto.

... São uns queridos!

maria carvalhosa disse...

Espectacular, Licína. A tua imaginação é fabulosa e nunca, mas nunca, pára de me surpreender.
Beijos.

bettips disse...

Gatos...imprevisíveis nas nossas vidas!

M. disse...

Delicioso.

Patanisca disse...

Que gatinho tão mimoso, tão peludo, tão fofinho. Também há pintores de gatos? Tipo hairstylists? Estou a ver os tigrinhos do Rodrigo todos pintados de violeta, azul, etc. Trouxe agora uns colorantes de Tokyo à base de papaia e sem amónia muito cool. Quando os comprei era para fazer uma surpresa ao Rodrigo. Mas agora é que ele vai ter uma surpresa a sério. Como é que consigo ser tão marota, não é o que estás a pensar, querida Licínia? É que fiz o meu doutoramento em sexto sentido e agora estou a fazer o pós doc no sétimo. Que nice!

Beijiiinhos.

Justine disse...

Como deixar de falar de uma paixão?
O teu texto é exemplar!

Menina_marota disse...

Uma ironia que dança no pelo do gato e no olhar de quem pretende ser, talvez, astuto...
BJ ;))

innername disse...

delicia de sítio pra se sentar um poema.
Adorei o poema do gato e vim pelo link da Maria Carvalhosa. Outras falas.
Deixo-te aqui mais um gato
http://fogonapalha.blog.com/2006/10/
Já cá vi a Alice. Vou favoritar e espreitar melhor depois. Ah, a música não consigo ouvir

cuotidiano disse...

Só tenho duas palavras: ge nial!

Beijo

arquivo

 
Site Meter