25.1.09

ELOGIO DOS RELÓGIOS DE SOL


Um tempo houve em que tiveram rosto.
Neles viam os homens a grandeza dos dias.
Livros de luz para quem sabia ler,
nas encruzilhadas dos caminhos certos,
nas amplas clareiras dos enganos.
Quadrantes de numéricos segredos.
Gnomos paridos nas entranhas da terra,
condenados ao exílio nas alturas do sol.

Quisessem os relógios só medir o dia
e a noite dormiria num campo raso e largo,
favorável ao crescimento das asas,
ao germinar dos trigos, à desmesura do amor.

Licínia Quitério

15 comentários:

Mar Arável disse...

Um trabalho árduo

de sol a sol

com o amor das noites

cansadas

à sua espera

isabel mendes ferreira disse...

belo!




(ainda que este elogio seja escasso.....embora verdadeiro)!!!!

Graça Pires disse...

Medir o dia. Deixar descansar a noite "favorável ao crescimento das asas". E depois deixar voar os sonhos rentes ao sol.
Um beijo Licínia.

maria josé quintela disse...

muito perto de onde moro ainda resiste um relógio de sol. a olhar de frente o marão.


é o relógio mais certo que conheço.



um beijo licínia.

hfm disse...

"para quem sabia ler", aí está a chave.

Marinha de Allegue disse...

Licínia algo pasa pq deixo comentarios nons teus post e non aparecen, levaos o vento...

Beijos amiga.
:)

heretico disse...

"quisessem os relógios só medir o dia...". pois é - os relógios estão contaminados pelo Tempo...

(os relógios de pêndulo que o digam... rss)

belas as noites em campo raso. escutando o germinar do trigo e o canto das cigarras...

gostei muito.

beijos

Dana disse...

E nós, que, afinal, não somos mais do que uma ínfima milésima de segundo deste universo...

Um poema muito belo!

***

Arabica disse...

Licínia,


como gnomos guardamos em nós o tempo vivido nesses relógios de sol.


Lindissimo este teu elogio.


Abraço-te

bettips disse...

Deveriam, pois, só medir os dias. Ou as noites de fantasias à volta.
Desmesuradamente, só os dias do amor.
Lindo Licínia!

Vieira Calado disse...

Muito bom e belo este seu poema!

Um beijinho.

Miguel Barroso disse...

Que bem se escreve por aqui!



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

vida de vidro disse...

Poderiam só contar para a contabilização do tempo, os dias claros, límpidos no (nosso) olhar. Tão bonito! **

M. disse...

Sim, quisessem...

TMara disse...

um poema k abre dimensões ao olhar e ao sentir. Belo.
Bjs
Luz e paz.

arquivo

 
Site Meter