29.1.09

MADRUGADA


Inda goteja a noite.
Na garganta um vibrato.
No cântaro quebrado, o incenso amortecido.
Desfocada, uma rosa desenha a madrugada.

Que ilumine o negrume das copas
e acalme a sede das ervas
e apague o rasto da peçonha
e alimente as palavras novas.

Que seja a boca e o beijo,
a forja e o aço,
o sangue e o útero

e nos ensine o princípio da alegria.

Licínia Quitério

19 comentários:

Graça Pires disse...

"Desfocada, uma rosa desenha a madrugada".
Que seja o pássaro que, em pleno voo, ama o silêncio da paisagem.
Um beijo Licínia.

Anónimo disse...

Assim seja!
Gosto do positivismo do poema.
Agrades

Mar Arável disse...

Que seja rosa

desenhada

Arabica disse...

Que a madrugada nos traga a rosa.


Um beijo Licínia

Justine disse...

Que assim seja, mesmo desfocada, mesmo lenta.O arauto da nossa força.

(magnífico grito de esperança, amiga-poetisa:))

M. disse...

Quem dera todas as rosas fossem assim.

heretico disse...

que a rosa seja dia luminoso e puro...

belíssimo.

beijo

Rogéryo de Sá disse...

a madrugada é sempre um bom começo mas a rosa tem picos

Marinha de Allegue disse...

a madrugada en rosa...

Beijos Licínia.
:)

vida de vidro disse...

A esperança. O (re)aprender a alegria. Venha então essa bela rosa da madrugada. Lindíssimo. **

maria m. disse...

a «rosa desenha a madrugada» e a delicada sensualidade deste belo poema.

legivel disse...

... uma vez mais a coincidência na blogosfera. Desta vez é o beijo que anda nas bocas (?!) do mundo.

Totalmente de acordo contigo: que sejam a boca e beijo ou vice-versa a ensinar aqueles que fazem da tristeza um modo de vida, que sem um sorriso nos lábios não vamos a lado algum.


beijinhos e sorrisos.

mena m. disse...

Uma oração de esperança e de amor!

ÁMEN!!!!

Um abraço

tinta permanente disse...

Primavera!
É, talvez, o tempo único que do tempo nos consola a alma!...

abraços!

Rodrigo Rodrigues ("Perdido") disse...

Não basta olhar o mar.
É preciso forçá-lo
a ser as nossas lágrimas.


Acordo os dias a pensar nestas palavras. E, ao deitar, digo para mim mesmo:

Sempre dizer mergulho
e não naufrágio.


Venha então a rosa e apague o rasto da peçonha

beijinho Licínia

Vieira Calado disse...

Belo o seu poema!

Quanto ao que disse do meu: sedutor.

Penso que é uma apreciação correcta.
Subscrevo.

Mas quem sou eu para falar do que escrevo, ou de opiniar sobre o que outros pensam do que eu escrevo?

Bjs

bettips disse...

Alguma alegria
há-de gotejar
de nós.
Que fomos alegres despreocupada a mente.
B

vaandando disse...

belíssimo poema
» desfocada , uma rosa desenha a madrugada«!!!
cordialmente
JRMarto

Ad astra disse...

...que seja...
sempre!

arquivo

 
Site Meter