10.1.09

FALEMOS ENTÃO


Falemos então da elegância das mulheres. Não soletremos a feminina condição. Digamos da sua matéria inspiradora. Vestidas de chuva as mulheres desafiam o sol. Com uma dor cinzelada no braço sorriem à curva da serpente. Contam as misérias do mundo no rosário de sonhos de opulência. Falemos então dos homens que não podem amá-las. Estão cansados de fazerem a guerra. Estão doridos por não pararem a guerra. Lamentam não terem feito filhos na delicadeza das mulheres. Ficaram estéreis os homens que mulheres condenaram à guerra. Os homens que restarem abraçarão as mulheres que restarem. Elas vestirão a prata das noites sem remorso. Todos eles terão os olhos da cor do esquecimento.

Licínia Quitério

19 comentários:

Arabica disse...

Da cor do pesadelo, minha querida.


E acordarão da noite, nos braços da mulher que os embala.

E juntos tecerão orações de pérolas que nenhum tempo poderá secar...


Beijo grande, grande.

hfm disse...

belos "olhos da cor do esquecimento".

Justine disse...

Disfarçar. Fingir. Agarrar o superficial,distraír-se.Mas quero acreditar que esquecer não podem, não saberão. E os olhos ficarão da cor da morte.
(Duro, duríssimo e belo, o teu texto)

batista disse...

... porque necessário se faz semear sem ressentimentos
por mais que sangre o peito
para que o pão e o vinho partilhados
não sejam contaminados por ódios ancentrais

... porque o sonho não dever sucumbir ao pesadelo

...

deixo um abraço fraterno.

M. disse...

Subtil e belíssimo este teu texto. A fotografia, requintada.

De Amor e de Terra disse...

Um dia, sim um dia, em que o Futuro nos venha visitar, os homens hão-de ter, realmente, a cor do esquecimento no olhar e o AMOR há-de ser VERDADE!...


Beijo

Maria Mamede

batista disse...

errata: "ancestrais"

© Piedade Araújo Sol disse...

vestidas de chuva as mulheres desafiam o sol!

tão belo!

uma prosa poética digna de se ler e reler.

beij

heretico disse...

como catarse necessária...

belíssimo.

beijos

innername disse...

estarão cansados da guerra que fazem? poderão esquecer?
Estereis muito estereis, quem sabe estereis de mais pra começar de novo?
Se as guerras provocassem bens, seríamos todos felizes sem descriminação, homens, mulheres, não era?
Belo pedaço de poema

Graça Pires disse...

Só mesmo tu, Licínia, para escreveres este belo texto.
"Vestidas de chuva as mulheres desafiam o sol". É por isso que no olhar de uma mulher os barcos nuca se perdem...Um beijo.

Ad astra disse...

belissimo texto

um beijo

Maria disse...

Falaste então do Mundo de hoje, do dia de hoje... belíssimo o teu texto!
Um dia todos os homens abraçarão todas as mulheres. Nesse dia a cor dos olhos será azul...

Arabica disse...

E por gostar do teu falar, deixei-te uma flor tecida de palavras no meu blog.


Um abraço, Licinia.

vida de vidro disse...

Um dia, talvez. Um belo texto sobre este mundo desvairado em que vivemos. **

Mar Arável disse...

As mulheres

pois claro

sempre

em todas as estações

Mas com memória

Belo texto

legivel disse...

... que o género masculino não argumente que lhe faltam pistas de entendimento...

... quando tiver algumas dúvidas já sei a quem recorrer. A ti, pitonisa poética destes tempos cansados da guerra e de raros amores.

Beijinhos e sorrisos.

maria m. disse...

difícil será esquecer.

bettips disse...

Falas de mulheres e das curvas dos seus pensamentos: com luzes de memórias, todavia de braços com o gesto de embalar; os que restarem.
Bj

arquivo

 
Site Meter