20.3.09

SE ALGUMA VEZ A NOITE


Se alguma vez a noite,
cansada de esperar
pelo oiro da manhã, antecipasse
o despertar do dia?

Sem rumo as barcas,
pejadas de palavras,
em súplica de rimas,
como quem pede um vento de feição
ou ata a um desejo as sílabas cadentes.

Não soaria azul o azul de mar,
nem prata de luar as mãos de sal.

O sono da donzela sobre a fraga
apagaria grifos e quimeras.

Só na noite o poema é fonte de delírio
e se faz corpo e corda e lume e perdição.


Licínia Quitério

14 comentários:

tinta permanente disse...

A noite é cumplice de todos. Ou de nenhum?...
Gostei!

abraços!

vaandando disse...

Absolutamente belo,absolutamente..
E fico-me pela primeira leitura, impressionista é claro, isso basta-me.
Um beijo
___________ JRMARTO

Justine disse...

Tudo tem um sentido, não é? Até a noite, para que o poema se faça corpo...
(o teu poema acordou-me ecos de Florbela Espanca)

Paula Raposo disse...

Lindíssimo!! Gosto muito de te ler...beijos e bom fim de semana.

Graça Pires disse...

"Só na noite o poema é fonte de delírio"
Como concordo Licínia... Um poema lindíssimo neste dia da poesiaque todos os dias amamos e em que também te saúdo. Um beijo grande.

Rui Caetano disse...

A cumplicidade do escuro clareia-nos oss entidos.

Arabica disse...

Só na noite, Licínia.



Um abraço.

maria m. disse...

e as palavras encontraram um «vento de feição» e um belo poema se fez.

legivel disse...

Não queria estar na pele dessa noite que, cansada de esperar pelo oiro da manhã, antecipasse o despertar do dia. Porque há dias que têm um despertar nada simpático...
Que tal noite se prolongue o mais possível de modo a albergar o tal poema: que nela é fonte de delírio, e se faz corpo e corda e lume e perdição.
Quem sabe se depois, a noite seja noite durante nove meses...


sorrisos à tarde.

Teresa David disse...

GOSTO DE TE LER. DO CORAÇÃO O DIGO. ÉS UMA BELISSIMA POETA.
BJS
TD

heretico disse...

há noites que incendeiam as palavras. e o corpo poema...

... e tornam os dias claros.

belíssimo. luminoso Poema

beijos

hfm disse...

Ainda só de raspão que o regresso ainda não foi assumido para te mandar um beijinho.

bettips disse...

Velas de amor ao vento,
enfunadas de palavras mal sussurradas,
me parecem.
Bjinho

Marinha de Allegue disse...

Licínia querida, encantoume o poema.

xa me tarda de falar contigo...

Beijossssssssss
:)

arquivo

 
Site Meter