17.6.09

CLARISSE 10


Seria bem diferente quando a colaram no álbum. Naquele tempo, as flores brancas corriam pelos campos ou definhavam na estreiteza das jarras. Esta sobrenadava águas tão próximas do céu que podia tocar a liquidez das estrelas. Foi o que assustou Clarisse que logo fechou o álbum, olhando em volta como se alguém a espiasse. Receosa dos seus próprios gestos, abriu a gaveta, empurrou o álbum bem para o fundo, para o lugar onde repousam os álbuns que nasceram para nunca serem folheados e fechou-a à chave como há muito não o fazia. Sentou-se, afagou o gato impertinente a trepar-lhe para o colo e assim ficou, com uma inquietação húmida a desafiar-lhe os ombros. Antes de fechar os olhos, Clarisse fixou as mãos sobre o lombo do gato e admirou-se dos rios azuis que as percorriam, com seus afluentes e deltas. Não se lembra de os ter visto quando pela primeira vez visitou aquele álbum. Que acontecera então desde que alguém tentou contrariar a brevidade da flor, fixando-lhe a verdade, a idade, a essência? Mudaram as cores, dissolveram-se os traços, afirmou-se uma nova luz que Clarisse pensou transparência. Cumpriu-se o destino da flor? Avançou, insidiosa, a construção dos rios azuis? Clarisse está segura de que é o tempo das gavetas que mede a beleza da flor branca e das suas mãos de maré cheia, também elas flores de carícias sem hora nem porquê.


Licínia Quitério


Nota - Voltarei no sétimo mês. A este e ao Outro Sítio. Penso que Clarisse não deixará de me acompanhar. Lembrando Luís de Stau Monteiro, aconselho: Agarrem o Verão, Amigos, agarrem o Verão!

Licínia

16 comentários:

Paula Raposo disse...

Gostei imenso de te ler!! Boas férias. Beijinhos.

Maria disse...

Já te disse que gosto da tua/nossa Clarisse. Agora é tempo de te desejar boas férias.
Cá te espero.

Beijos

Lídia Borges disse...

Esta Clarisse é realmente um encanto, com gavetas fechadas à chave ou não!

Boas Férias!

bettips disse...

A Clarisse deixará o susto das gavetas: é tempo de voar no azul mas o outro, o líquido, o transparente.
Bons tempos para ti.
Bjinhos

Marinha de Allegue disse...

Boas férias Licínia!!!.

Beijinhosssssssssss.
:)

mena m. disse...

Aqui me fico a ver a correria das flores brancas por esses campos do antigamente e desejo-te umas óptimas férias!

Daqui a um mês aí estarei quase como num salto para dentro do meu álbum...
Beijinho

mariabesuga disse...

agarrado será o verão. agarrado está este sítio bonito. soltas precisam ser as palavras nos poemas e noutras formas de escrita em que transformamos os sentidos...

Boas Férias

Graça Pires disse...

Clarisse e o seu desejo de sulcar a memória...
Boas férias. Um beijo,Licínia

mariab disse...

por vezes a intensidade das flores guardadas é tanta que nos fere. e é preciso fechar as gavetas.
beijos e bom Verão.

maria m. disse...

Clarisse é menina que cresce, que se interroga... as flores brancas, os rios azuis de suas mãos... que belo é acompanhá-la assim!

heretico disse...

belas as mãos. em afluentes de azul...

Clarisse sábia.

Boas Férias

beijo

Mar Arável disse...

Bjs

meus

para as duas

Arabica disse...

E conseguiremos nós, possuir o segredo da essência da flor?
Conseguirá o papel guardar o perfume intenso da flor, memória de Clarisse?

Boas férias, Licínia.




E um beijo.

legivel disse...

Esta Clarisse vai-me ao feitio pois que são raras as mulheres que conseguem fixar as mãos sobre o lombo de um gato e admirar-se dos rios azuis que as percorriam...

Segui o teu conselho, amiga: mas agarrei o Verão com tanta força que ele começou a deitar água por todos os lados. De tal maneira, que há três dias que chove com raras paragens...

Beijinhos e até um dia destes.

vaandando disse...

»cumpriu-se o destino da flor»

Um gosto ler Clarisse, entre passados , e presentes de gatos!
abraço
_______ JRMARTO

M. disse...

Gosto das flores de Clarisse.

arquivo

 
Site Meter