23.9.09

NENÚFARES




Vêm dos fundos e repousam os braços na finíssima linha de água. Florescem e perduram com pétalas de porcelana. Têm pequenos estremecimentos acompanhando os remoinhos súbitos que o vento traz. Oferecem conchas e abraços aos peixes coloridos. São a tentação das libelinhas rasantes que lhes afagam as folhas. Pacientes, procuram a quietude, o sono de vestais no templo. Respiram a bruma do lago e transpiram gotas reluzentes. Quando os vemos nos quadros sabemos que nos escutam os silêncios. Falo de nenúfares. Ou de antigas esperas.

Licínia Quitério

18 comentários:

Paula Raposo disse...

Lindo o teu post! De nenúfares e silêncios.
Gostei muito. Beijos.

Justine disse...

Não sei o que é mais fulgurante: se a beleza dos nenúfares, se a das tuas palavras. Encantaste-me!

Maria disse...

Precisava de ler um texto assim, hoje. Tranquilo, de silêncios e memórias...

Um beijo

legivel disse...

... é verdade: a atracção que as libelinhas rasantes têm pelos nenúfares são um hino ao amor incontrolável (leia-se paixão) que felizmente ainda vai acontecendo (porque rareando) em alguns lugares propícios e encantatórios a tais encontros. Sim, que nos dias que correm, a paixão parece ter os dias contados: as senhoras já não desmaiam de emoção ao ver um apessoado cavalheiro, e os cavalheiros têm paixões assolapadas pelo futebol ou pelos desportos mecânicos. Sinais dos tempos e, quem sabe, das estações que andam desorientadas, digo eu, que apanhei hoje um calor daqueles do pino do Verão, que só me sentia bem dentro da piscina, de barriga para cima e quietinho como um nenúfar. Mas das libelinhas, nem rasto...

Lídia Borges disse...

Maravilhoso, este texto!
Macio... feito de seda e porcelana, nas folhas dos nenúfares que "nos escutam os silêncios"

Um beijo

Mar Arável disse...

Os nenúfares saão assim

pacientes

Bela tranquilidade

S.Y.Rodrigues - disse...

há algo simplesmente de encantador, numa paisagem assim, descrita assim.

Arabica disse...

Gosto tanto de ficar quieta olhando-os!

Como se a espera se resumisse a gravar a sua forma no meu olhar... e depois, levá-los, estrada fora dentro de mim...

Fico aqui no teu lago, fulgurante de palavras.

Beijos

maria m. disse...

belíssimas palavras, Licínia... «vejo» os nenúfares em silêncio, uma brisa de tranquilidade no interior do meu olhar...

Vieira Calado disse...

É um texto poético muito bem escrito.

Realço:

"Quando os vemos nos quadros sabemos que nos escutam os silêncios".

Cumprimentos meus

Graça Pires disse...

Belíssimo poema!
As esperas. O silêncio. As palavras. Os nenúfares. Tudo é cheio de sensibilidade no que escreves, Licínia. Um beijo.

Marinha de Allegue disse...

Adorei!!!.

Unha aperta Licínia.
:)

DE-PROPOSITO disse...

e repousam os braços
---------
O que significa que é bom repousar. É bom repousar das canseiras do dia a dia, e é bom repousar a mente na quietude de um lugar calmo.
---------
Fica bem
E a felicidade por aí.
Manuel

Arabica disse...

Bom dia nenúfar!

Beijinhos

Anónimo disse...

A suavidade das palavras casa bem com a imagem dos nenúfares.
Agrades

heretico disse...

de fazerem inveja aos jacintos. os teus nenúfares. belíssimos.

beijos

M. disse...

A tua sensibilidade à tona. Uma vez mais.

Júlio Pêgo disse...

Monet deveria gostar de ilustrar estes nenúfaros de sonho, tranquilidade e paz, entre o silêncio da água e a quietude do ar.Não foi por acaso que o tema foi muito repetido na sua pintura, particularmente nos seus últimos anos de vida.

arquivo

 
Site Meter