18.12.09

OS SINOS



Os sinos tocam. Repicam. Tangem. Dobram.  Os sinos falam. Rezam. Cantam. Riem. Choram. Chamam. Para acordar e para recolher. Para a festa e para o luto. Dão sinais. Dão avisos. Dão as boas-vindas e as despedidas. Envelhecem. Enrouquecem. Deformam-se. Têm vidas longas. Serenas. Sabem muito do silêncio. Edificam-no. Prolongam-no. Afirmam-no. Moram nas alturas e são atentos à fala da Terra. À fala dos Homens. Há quem os ame. Há quem os deteste. Não há quem fique indiferente ao seu soar. Quem os constrói sabe de fórmulas secretas. Rigorosas. Mágicas. São elas que dão voz aos sinos. Como se fossem gente. Como se fossem vida.

Licínia Quitério

16 comentários:

Lídia Borges disse...

Muito interessante o desfiar de verbos a reforçarem a função dos sinos, dando-lhes vida, fazendo deles "quase" pessoas...
Muito bonito!

Um beijo

Graça Pires disse...

Os sinos já tocam a rebate pela fé dos homens neste Natal.
Um Belíssimo texte, Licínia.
Um beijo.

M. disse...

Belíssima fotografia, Licínia. E especial o toque com que deles falas.

José Carlos Brandão disse...

Antigamente - tem gente que tem a mania de falar em "antigamente", mas foi há muito tempo, talvez, é bem provável que hoje não seja mais assim... Antigamente aprendi que o sino era a voz de Deus pendurada num prego. Era triste e bonito. Triste - a obediência cega. Bonito - Deus existia. Certo, aprendi que existe de qualquer jeito - mas "antigamente" existia para todo mundo, ninguém negava, não tinha discussão. O mundo era quase - quase, ainda havia a fragilidade humana - perfeito.
Um beijo e votos de um feliz, santo Natal.

Maria disse...

Bonito post, Licícnia. Palavras e foto... gostei muito.

Um beijo

Mar Arável disse...

Que vivam os sinos

de todos os natais

Bjs

Arabica disse...

Que acordem os homens!
Que fortaleçam as mulheres!
Que induzam em sonhos alquimicos as crianças de todo o mundo!
Por incrivel que pareça, sem aqui vir e tu sabes disso, escolhi três músicas sob o tema "sinos".
São estes detalhes que muitas vezes mostram o quanto a sensibilidade das pessoas está próxima :)

Assim sendo, unidas pelos sinos, deixo-te aqui o meu abraço fraternal de Natal, mas que em nada difere dos abraços do ano inteiro. :))

Saúde, paz, amor, harmonia, tudo dentro de um sapatinho. :)

legivel disse...

Nunca vivi próximo deles. Apenas quando o vento muda de feição lhes oiço o repenicar ao longe, dando notícias ora tristes, ora alegres. Era menino pequeno, quando num natal (num tempo em que o pai natal descia pela chaminé sempre numa altura em que eu estava a dormir... embora eu não tivesse um desejo assim tão grande em conhecer o dito cujo... ) dizia eu que nessa noite de natal o meu pai deu-me uma fatia de bolo-rei, de onde retirei, muito bem embrulhado, um sino prateado pequenino. Imaginando que era coisa para comer, lá vai disto!: sino para a barriga, sem mastigar nem nada. Só quando muito mais tarde (acho que na páscoa seguinte) o sino se lembrou de badalar com frequência, é que me levaram ao médico...

Sorrisos.

bettips disse...

As tuas palavras tantas vezes têm o som deles!
Bela foto, Licínia, abraços intemporais.

Maria disse...

Um abraço muito especial, Licínia...

Marinha de Allegue disse...

Unha aperta de Nadal querida Licínia!!!.
:)

Desambientado disse...

Fiz um presépio, onde...

Os anjos cantam em coro,
Glória a Deus e Paz na Terra.
Nessa aldeia não há guerra,
Nem quero que haja choro,
Estão lá os meus amigos,
Os recentes e os antigos,
É nesse lugar que moro.

Boas Festas

heretico disse...

beijo

Boas Festas,

(vibrantes os sinos. saibamos escutá-los)

batista disse...

Licínia, desde que o descobri, este espaço tornou-se porto obrigatório e querido nas minhas andanças. Embora nem sempre com a assiduidade que gostaria, face à escassez de tempo, sempre retorno. Um beijo saudoso e fraterno, com votos de um Natal Bom, ao lado de quem queiras.

espantando o silêncio de minh’alma
lembrando a missa domingueira
sobrepujando o barulho da rua
vive em mim - desde menino
a música no dobrar dos sinos

acordava sempre um pouquinho mais cedo
mas não levantava de imediato: isso não
pra quê? perguntava pra mim mesmo
e ficava a esperar, quando menino
pela música do dobrar dos sinos

e a fé, ingênua e mansa, era tanta e tão bela
que antes de papai e mamãe levantarem
já sonhava acordado que eram os anjos
brincalhões como quaisquer meninos
que entoavam a música dos sinos

hoje, em meio a tantas notícias nos jornais
onde a violência e a ganância imperam
olhos rasos d’água olho pro alto
e peço humildemente a Jesus-Menino
que traga a Paz na música dos sinos

(a lembrar tempos outros... onde o dobrar dos sinos ecoavam mais amiúde.)

maria manuel disse...

como a poesia, os sinos também têm a sua melodia, os seus apelos.

bom ano novo, Licínia! beijos.

maré disse...

portadores de novas

e angústias.

vida e morte

anunciação.


os sinos

têmporas

acesas

_____

um beijo Licinia

arquivo

 
Site Meter