17.4.10

DEMANDAS O ABRIGO



Demandas o abrigo que sabes
há-de haver na fronteira da estrada.
Por isso, homem,  inauguras
os dias deixando para trás a casa
e nela o sono breve e inquieto.
Levas o beijo da mulher, dos filhos,
e um trabalho imenso por fazer.
Visitas os lugares que te reclamam,
cumpres a hora de carregar na voz
o que esperam que digas, pouco mais.
Se for preciso cantas com palavras
brandas no embalo dos passos,
sílaba a sílaba a aguentares o prumo.
Ao fim da tarde, quando os  ombros
pesam, ganhas de novo a estrada.
Tu sabes, homem, que outra casa
te espera e a mulher está cansada
e os filhos sairam a correr pelo mundo.
Dormirás e sonharás com traços
imprecisos de portais e alpendres
e muros brancos e trepadeiras brancas
e um homem dizendo mansamente
sílaba a sílaba a leveza dos passos.

Licínia Quitério

13 comentários:

hfm disse...

Da poesia límpida, bela e melódica. Gostei muito. Muito.

Justine disse...

O percurso de uma vida dura, a procura da paz. Pelos caminhos serenos da tua poesia
Abracinho

Filó disse...

Magnífico poema, retratando uma vida difícil!
Licínia, muito obrigado pelas suas palavras amigas deixadas no meu humilde cantinho...

Bom Domingo
Um beijo amigo

PÉTALA disse...

Licínia
É sempre ao abrigo que retornamos em dia de luta, em noite de tormenta e em momentos de sonhos desfeitos.

Muito reconfortante o seu abrigo
Muito estimulante o seu agasalho

Aroma de
PÉTALA

maré disse...

desemboquei nos anos 60
nos olhos a perseguir o sonho.

a fome nas mãos e a esperança a arregaçar os braços esquecidos de afecto.

há tanta história neste poema/ demanda...


beijos L

Maria disse...

Tempos duros os que descreves neste belíssimo poema. É bom recordar, sempre.

Este parte, aquele parte...

Um beijo, Licínia

Mar Arável disse...

Há sempre um homem

que se desmanda

Como sempre belo e profundo
água de beber

maria manuel disse...

uma caminhada, uma vida...

belo poema. beijo.

heretico disse...

assim o pão dos Homens...
e os Sonhos...

belíssimo
grato (pela emoção que o poema transporta)

beijos

Graça Pires disse...

Um poema belíssimo verso a verso. O percurso difícil da vida passo a passo.
Um beijo Licínia.

Náná, a emergente disse...

Na demanda do homem, o encontro do abrigo. Na demanda do tempo, o encontro com o Homem, que o mudará.

Um abraço meu e da outra também.

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema querida amiga. Gostei imenso das tuas palavras, onde desenhaste belas imagens poéticas.
Beijos.

bettips disse...

Os nossos emigrantes - os que vemos morrer pelas obras desse mundo - chorariam, de te saber sabendo deles!
Bjs

arquivo

 
Site Meter