1.5.11

MAIO



Um vídeo com todas as imperfeições de um trabalho de artesã de ocasião. Não o quero refazer. É assim, espontâneo, informal, oferecido como foi o meu, o nosso, Maio de 74. Este é o registo que me deixou na memória e no coração. Hoje o Maio é outro, com muito negro a sujar o vermelho, mas novas águas hão-de vir para lavar da lama as ruas do Maio da Alegria.

Licínia Quitério

5 comentários:

Eduardo disse...

Parabéns. Esta foi uma experiência que mostra um novo caminho para a comunicação da tua palavra da tua poesia. Bom 1º de Maio.

Alien8 disse...

Bom 1º de Maio, Licínia. ou o que ainda falta dele. O teu testemunho é precioso, o teu 1º de Maio também.
Um abraço.
Mário

OUTONO disse...

O natural...é o melhor!

Anónimo disse...

Este teu é o que queremos que seja.
Expontâneo e um pouco
(não é desmiolado, nem sem sentido, nem confuso, nem difuso)
abismado-feliz ??? como ficámos.
Bj da bettips

Parapeito disse...

um Maio que brotou de si feito brisa doce...
Belo este pedacinho de tempo...
Que não se canse nunca Maio de florir*
Um abraço*

arquivo

 
Site Meter