21.6.11

VAMOS SUBIR




Vamos subir com as asas da manhã.
Sacudir o torpor da insónia e os fantasmas
nocturnos, repetentes, nas teias da memória.
É Verão, dizem, e acredito. Acredito
no pregão dos calendários, na vara de sombra
na parede da casa, na virgindade das areias.
Vamos, com a tenacidade dos peregrinos,
descobrir o adro dos encontros, dos abraços,
dos sorrisos, das danças de roda das mulheres,
das danças de roda dos homens, das danças
de roda dos filhos das mulheres e dos homens.
É Verão, eu sei, o dia é largo e as hienas
farejam as feridas e a fraqueza das crias.
Vamos devagar, com rasto de preguiça
nas sandálias leves. Atenção aos abutres
de olhar de pomba, nos seus poisos altos.
Longo, longo, o tapete de sol
que da nossa garganta se desdobra.
Continuemos, pois.

Licínia Quitério

     

8 comentários:

Mar Arável disse...

Asas de amanhãs

hfm disse...

Que as tuas sandálias sejam mesmo leves! Este poema tem em si as 4 estações apesar de só falar de verão. Assim é feita a poética. Um beijo.

Graça Pires disse...

Vamos subir, sim, porque como dizia Torga, só quem sobe à montanha toca o céu...
O teu poema é cheio de beleza e sensibilidade como é costume . Adorei. Um beijo, Licínia.

Mel de Carvalho disse...

Continuarei a segui-la, Licínia.
Porque belas são as suas palavras em todas as estações da vida.

Beijo
Mel

M. disse...

Como um texto bíblico de exigência humana. Forte, poderoso.

Maria disse...

Continuamos, sempre. Sempre...

Beijo.

heretico disse...

até que as manhãs soltem o canto! continuemos, pois!

beijos

sandrafofinha disse...

Gostei imenso da imagem que escolheste para este post,ela mostra mesmo um sentido de subir na vida. Vamos subir e elevar-nos ao ritmo da felicidade. Que sejas super feliz amiguinha. Beijinhos.

arquivo

 
Site Meter