12.4.12

ASSIM POUSAMOS





Assim pousamos o coração na mesa 
dos anos repetentes e perguntamos
porque bates se nunca mais cobriste  
de sol o chão do grande inverno

Repegamos a cor das velhas dores
num teatro de espantos e silêncios

A comédia que somos e vivemos
bem ao largo de nós na ilusão
de um invicto perpétuo coração

Licínia Quitério


4 comentários:

Justine disse...

Assim pousamos...sempre na ilusão, sempre na esperança!
(Bela resposta a umas reticências difíceis! mas outra coisa não era de esperar...)

Mar Arável disse...

... e assim representamos

os pássaros que voam

num palco reticente
a fingir de chão

heretico disse...

repartindo as migalhas de nossos espantos...

... porfiando!

beijo, querida amiga.

M. disse...

Como num cenário de tela branca em teatro. Onde a vida se mostra.

arquivo

 
Site Meter