28.4.12

OS FRUTOS


À chegada dos frutos percebem-se lâminas

de sol na fala trepidante das mulheres

Os homens afastam-se a calcorrear as ruas

e olham de soslaio o ventre tumefacto da terra

As crianças adejam nos corredores da infância

Adolescência é o nome desse tempo latejante

de maçãs verdes trincadas e abandonadas

no mármore à voracidade dos insetos

Quem vai beber na concha da memória

sabe como os frutos crescem rápidos 

nos caminhos  maternais da liberdade


Licínia Quitério

4 comentários:

hfm disse...

Belíssimo, Licínia.

M. disse...

Comovente e sereno este lugar de imagens e palavras. A beleza das coisas.

Mar Arável disse...

À chegada dos frutos

tu já estavas poeta

heretico disse...

pelos frutos se conhece a árvore. e sua generosa dádiva...

beijo

arquivo

 
Site Meter