22.2.13

SIM, PERCEBI


Sim, percebi que queres nascer. Esses toques subtis na minha mansidão, essas palavras que ressaltam nos teclados ou nos ramos das árvores, essas contracções inesperadas no meu leito de pensar, esse desassossego no parapeito da tarde, tudo isso, eu sei, é o anúncio da tua urgência de chegar ao lugar de sempre, junto aos outros que acolhi e moldei e a quem agradeci com enlevo e cansaço antes de os n
omear. Serás também poema e serás o tudo e o nada de quem lê, de quem ouve, de quem se não contenta com o limiar das coisas. Eu percebo a tua pressa, o teu medo de que um dia no mundo não haja lugar para poemas ou anjos. Por agora, não te posso dizer a cor da hora de te receber. Vais aguardar, no corredor da tua espera, da minha espera, que aquela borboleta bata asas e um pólen de prata inunde o quarto do meu segredo, do teu segredo, poema.



Licínia Quitério

4 comentários:

M. disse...

O Mundo tornado poema?
Gostei muito.

Justine disse...

Um nascimento esperado com alegria e serenidade!

heretico disse...

poema para quem o sabe escutar - amorosamente...

beijo

Filoxera disse...

Bela, esta pressa do poema que quer nascer...
:-)
Beijinhos.

arquivo

 
Site Meter