28.5.17

GRAÇA PIRES


A ruiva

Soltaram-se os pássaros vermelhos,
colados em meus cabelos.
Roçaram a sombra dos navios
e voaram, em círculos fechados,
rasando os areais.

Como um esboço de naufrágio
no rosto dos homens
que afagam sempre os filhos
como se fosse a última vez.
Como se, no coração das areias, os ventos
se enrolassem nas dunas em rituais de paixão.

Regressaram depois, os pássaros vermelhos.
E, lentamente, desalinharam os meus silêncios.

GRAÇA PIRES, em "Fui quase todas as mulheres de Modigliani", Poética Edições


foto da net

3 comentários:

LuísM Castanheira disse...

À Graça e a si, Licínia, os votos de um bom domingo.
Uma óptima escolha, a sua, deste novo livro, ontém lançado pela nossa amiga.
Um abraço.

Graça Pires disse...

Obrigada, minha Amiga Licínia pela divulgação. Obrigada também por teres estado na minha festa e por teres lido tão bem um poema...
Um beijo.

tb disse...

A graciosidade da Graça!
A generosidade da partilha (a tua).
Beijo (meu) :)

arquivo

 
Site Meter