12.4.06

CAVALOS

O cavalinho de pau da minha infância fazia lembrar um centauro travestido. (Naquela idade não tínhamos ainda ouvido de falar de centauros.)
Muitos mais cavalos vão povoando o nosso conhecimento e a nossa imaginação:
O cavalo de Tróia de que falava o compêndio de História Universal. Hoje já ninguém diz "compêndio". Como as palavras envelhecem connosco!
Pégaso, aquele cavalo alado que poderia levar-nos às nuvens.
As corridas de cavalos de Dégas. Tão vivos, tão galantes, esses bichos.
Os cavalos do Partenon que afinal vivem aprisionados em Museus. As cabeças, mesmo depois de arrancadas dos corpos, dizem-nos tudo sobre o cavalo inteiro.
"Os cavalos também se abatem" - o filme que nos pôs a pensar sobre quem abate e quem se deixa abater.
"O cavalo à solta" - a canção que empolgou quem se sentia num País à rédea.
Fica por aqui esta cavalgada da memória...


Um dia virá
em que os cavalos selvagens
abrandarão os galopes nervosos
em procuras sem rumo
e os prados verdes sinceramente verdes
refrescarão dos seus cascos a febre

O vento brando fará carícias de meninos
nas crinas ásperas ansiosas

As montanhas rugosas escalvadas
convidarão amáveis os cavalos
que as subirão sem esforço com doçura

Os cumes alcançados
firmes nas patas colunas de elegância
esticarão os pescoços rolarão os olhos
e sentirão o cheiro
o cheiro do universo

Esse dia virá em que os cavalos
não mais serão chamados de selvagens
que a imensa mansidão do universo achado
o não consentirá

L.Q.

6 comentários:

tb disse...

Gostei da analogia. Gosto do teu sentir nos poemas que escreves.
Abraços

Paula Raposo disse...

Vi o filme há muitos anos...o poema marcou uma fase da minha vida e continua presente, sempre presente na palavra e na voz! Beijos, bom fim de semana.

Era uma vez um Girassol disse...

Interessante este reavivar de lembranças ligadas ao cavalo... O filme é inesquecível, um clássico!
A canção, um hino!
O teu poema está belíssimo!
Tens dom, menina, vai em frente!
Vou linkar-te para mais depress vir acompanhar a tua caminhada e poder usufruir este oásis...
Bjs

jorgesteves disse...

Foi-me grato passear por entre estas palavras...
Um destes dia vou trazer ao meu canto de pretextos um unicórnio azul por companhia...
jorgesteves

Anónimo disse...

adorei o pema é lindisimo adorei o sentimento que me deixou.

Anónimo disse...

adorei muito do poema

arquivo

 
Site Meter