18.6.06

O QUENTE SABOR


Foto de autor que desconheço

Sonhei com o quente sabor das tâmaras
a polpa cor de açúcar queimado
a trazer lembranças de leite-creme das avós
as fibras a prenderem-se nos dentes
a retardar prazeres a prolongar trabalhos

Acordei na areia da praia e
quando disse bom-dia saiu da minha boca
um fruto sem nome que tomou o caminho
dos navios ao longe.

Fechei os olhos mas não voltei a sonhar
com o sabor quente das tâmaras.

Abandonei a praia e passei a seguir a rota dos navios.



Têm um "o" esculpido no tegumento lenhoso da semente. As tâmaras. Isso sabemos nós, os que fazemos palavras cruzadas. Em pequena, apanhava-as do chão, limpava-as do pó com o avesso da orla da saia e comia-as com avidez, só para chegar depressa ao caroço. Sempre desejei encontrar uma tâmara que fugisse à regra natural e não tivesse aquela circunferência mágica que me intrigava. Parecia-se com um pequenino olho a testemunhar a minha gulodice. Até hoje, nunca me apareceu uma tâmara cega. Também nunca achei um trevo de quatro folhas. Nem vi um elefante branco. Nem uma túlipa negra. Nem sequer estive em Creta com o Minotauro. Mas não me lamento. Uma raridade a vida me ofertou. Alguém me deu a conhecer o sabor quente das tâmaras e me ensinou a rota dos navios. Para sempre. Que mais posso desejar?


Licínia Quitério

23 comentários:

umacoisaemformade_assim disse...

mais do que do poema, gostei do teu texto.
Bom Domingo...
:-)

Hortência disse...

belo poema!
incita-nos a imagens de infância e fantasias férteis para uma "criação".
Abraços,
Hortência

Tons Pastel disse...

...não passo por aqui tantas vezes quantas mereces.os teus posts deliciam-me. desculpa-me. alias a poesia à prosa de uma forma harmoniosa. uma , a prosa, complementa a poesia. excelente! saio com o sabor das tâmaras, o cheiro do mar, a sensação de que estive numa praia tropical. E queria-o mesmo.
beijo

jorgesteves disse...

'para sempre', é a rota de todos os navios da alma, amiga! Se lhe (ensinaram) descobriu o âmago do fruto, com certeza a Primavera floresce em cada novo tempo...

amizade,
jorgesteves

Maria P. disse...

Fresca imagem bem acompanhada pela escrita.

Bom Domingo vizinha.

herético disse...

um poema de fazer crescer água na boca! o sabor das tâmaras e a areia inexplorada da praia ...

gostei muito

OvelhaNegra disse...

Venho agradecer a visita que fizeste ao meu blog e,também, conhecer o teu. :)

Gosto da tua escrita poética.
O teu poema é lindissimo.

Passarei a ser visita assídua.

Um sorriso e um beijo*

alice disse...

boa noite licínia,

é uma raridade da blogosfera, se me permite

partilha a poesia e uma ou outra intimidade muito interessantes a seu respeito

escolhe belas fotografias e ainda faz comentários generosos

por tudo isso, e tudo o que é e ainda não mostrou, merece o melhor e nunca nada menos

um grande beijinho,

alice

Era uma vez um Girassol disse...

Adorei...!
Há sabores, odores, emoções, que permanecem bem vincados e nos trazem lembranças. Recordamos, sentimos, vivemos, sempre com o sentido da partilha... Para que outros possam maravilhar-se através das nossas experiências...E podermos encantar-nos com as vivências de outros!
Como as tuas saborosas tâmaras...
Obrigada pela imagem, tu sabes.
Bjinhos

legivel disse...

Uma viagem saborosa
entre a poesia e a prosa.
das tâmaras o sabor quente
das rotas da nossa gente.


Beijinhos e óptima semana!

Dafne disse...

Olá Licinia
Vim retribuir a visita.
A obra de Reinaldo Ferreira é espantosa. Sabias que ele é o autor do poema "Uma casa portuguesa", cujos direitos de autor vendeu por tuta e meia.

Votos de um Bom dia e aparece
Serás sempre bem vinda

girassol disse...

Verdade minha querida!
Que mais podemos desejar que saber de sabores e caminhos que nos construam?!...

...e, sabes, mais me concentro no texto apreciação que fazes do poema que propriamente no poema, já é comum acontecer-me ao visitar-te.

Fica bem
Beijinho

FOTOESCRITA disse...

Que mais podes desejar? Que viajemos contigo de um modo tão sereno. :-)
Beijos.

DIAFRAGMA disse...

"Em busca da tâmara cega"
Esta ficou-me na memória, e poderia ser o título de um grande romance de aventuras!

aquilária disse...

o sabor quente das tâmaras: sábia forma de dizer amor.

um grande abraço, licínia

alice disse...

querida licínia,

estive hoje a reler os seus comentários, um deles uma poesia, ou todos eles poesia, dada a harmonia das suas palavras sempre tão doces

oxalá eu mereça o carinho que tem devotado ao meu blog

um grande beijinho,

alice

lique disse...

Há um sabor de serena aventura no teu poema. Pode parecer que "serena" e "aventura" não combinam. Aqui combinam, sim.
Beijinhos

http://mulher50a60.weblog.com.pt

greentea disse...

TÃMARAS ..NUNCA AS APANHEI ASSIM

mas andar pelas prais tropicais e entrar no mar e apanhar kitetas à mão cheia...

outros sons outros cheiros
outros desejos

RPM disse...

Olá e bom dia....

Hoje apenas escrevo para agradecer a visita ao meu cantinho e colocolado um comentário....

um abraço de amizade

RPM

mar_e_sol disse...

Adorei este cantinho de poesia versus prosa, em que as palavras baloiçam como lufadas de ar que entram e saem das nossas vidas.
Vou passando...
Beijo!

marginal disse...

gostei de tudo: foto, poema e texto.
Parabéns.

GNM disse...

Segui o rasto das palavras que deixaste no EXTRANUMERÁRIO e...
cá estou!

O tapete vermelho estará sempre lá para ti.

E que bem que escreves...
Gostei de te ler!

Sorrisos...

De Amor e de Terra disse...

...ir com eles Licínia, ir com eles





Um beijo enoooooooorme da

Maria Mamede

arquivo

 
Site Meter