6.10.06

DAS PALAVRAS (2)

Piet Mondrian


Se eu ao menos soubesse o que são as palavras,
de que espuma são feitas, o que escondem por dentro,
havia de comê-las, melhor, saboreá-las,
mastigá-las, sem medo de traição ou veneno.
Como quem morde um pastel, tomar-lhe o gosto.
Depois de deglutir, lamber os beiços, dizer:
Estava bom, o sal na conta, a fritura no ponto.

Se eu ao menos soubesse por que são as palavras,
havia de as trazer no bolso do casaco,
embrulhadas em plumas, não fosse magoar
uma sílaba tónica e a tornasse muda,
incapaz, coitadita, de se fazer ouvir,
sem se arrimar a outra bem aberta
como um tátárárí vibrante de corneta.

Se eu soubesse o que são, por que são as palavras,
tomaria a brandura do amor em tempo certo,
a quentura da flor que só pede o deserto,
a vibração contida da asa do condor,
e então, em riso, em soluço, em desatino,
daria à luz palavras, torrentes de palavras,
como quem mata a fome ainda que se mate.

LICÍNIA QUITÉRIO, Da Memória Dos Sentidos


"... Estás só, agora, biliões de palavras se transformaram na vida - uma só que soubesses, a única, a absoluta, a que te dissesse inteiro nos despojos de ti. A que atravessasse todas as camadas de sermos e as dissesse a todas no fim. A que reunisse a vida toda e não houvesse nenhum possível da vida por dizer. A que dissesse o espírito do nosso tempo e no-lo tornasse tão inteligível que nem afinal o entendêssemos, o víssemos, como se não vê a luz mas só o que ela ilumina. A que redimisse tudo o que enche um viver e nada deixasse de fora como inútil ou desperdício. A que reunisse em si um homem inteiro sem deixar mesmo de fora o animal que também tem de ir vivendo. A palavra final, a palavra total. A única. A absoluta. ..."

VERGÍLIO FERREIRA, PARA SEMPRE

26 comentários:

FOTOESCRITA disse...

Belíssimos estes dois textos! Encontro neles ligação ao meu post sobre os livros. Interessante este mundo. Vibrante! Um prazer estar-se vivo. Nem que seja só pela existência das palavras.

pintoribeiro disse...

Curiosamente o meu favorito dele...belíssimo. Bom dia.

Mendes Ferreira disse...

boa tarde .....POESIA!!!!!!!!!!



prazer.

um luxo.

beijo.

De Amor e de Terra disse...

Olá Licínia!
Há já muito tempo que não percorria os passeios dos Blogs, por muitos motivos alheios à minha vontade...Acabo de voltar e AMEI as tuas Palavras.

Beijos e parabéns.

Maria Mamede

alfazema disse...

Belíssimos textos.Sabes que Vergílio Ferreira é um dos meus escritores preferidos? Até ao Fim e Para Sempre são duas obras que me sensibilizaram muito.Tenho um carinho especial por este escritor/ professor de Liceu que aqui na minha terra iniciou a sua carreira de docente. Pelas tuas palavras, que têm sempre o sabor puro da amora silvestre, deixo-te um beijo e desejo-te um bom fim de semana.

Maria P. disse...

Excelente, claro!
Gosto do "Até ao fim".

Sabes que publiquei uma fotografia "no azul do roda-pé" em que aparece a casa, na altura Pensão Sta. Margarida, onde Vergilio Ferreira ficou algumas vezes em visita a Sintra?:)

Beijinhos:)

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Excelentes!Ambos excelentes.
Não sei como agradecer os momentos que nos porpocionas.
Envio somente um beijo

legivel disse...

"Se eu ao menos soubesse o são as palavras... "

... dava voltas e mais voltas à cabeça e nada! O que lhe foram arranjar logo pela manhãzinha de um domingo que até prometia algum sol e um passeio de bicicleta pela marginal. A máquina já estava dobrada era só pô-la na bagajeira do carro e ala que se faz tarde!
Esta coisa das palavras era um exame tramado aos seus conhecimentos... Que ele as usava era um facto; e por vezes até em demasia, pois lhe diziam que devia ser mais comedido. Mas isso não lhe estava nos planos mais próximos; a contenção verbal não era com ele, que até a pedalar falava consigo mesmo alto e bom som...
Decidiu-se. Ia mesmo bicicletar. As palavras, essas, iam com ele, pois claro. Da sua definição trataria depois...


óptimo domingo!!

legivel disse...

... "se eu ao menos soubesse o que são as palavras... "

Assim é que está bem.

JPD disse...

Será provavelmente essa uma das razões que leva as pessoas a escrever até se esgotarem.
Bjs

pitanga disse...

As palavras têm peso, mas o silêncio muito mais!

beijos doces

herético disse...

que posso eu dizer senão que as tuas palavras são belas e plenas de sabedoria? e algumas, como o extraordinário poema que deixaste no meu blog, tão intensamente povoadas de humanidade...

agradeço-te, sensibilizado.

vida de vidro disse...

Porque as palavras nos provocam essas inquietações, essa paixão e, ao mesmo tempo, essa incerteza sobre o que são, o que significam... por tudo isso e bela belez deste post, foi bom entrar aqui esta manhã. **

Teresa David disse...

Mais um belo encontro de palavras de autores diferentes mas ambos poderosas na escrita.
Bjs
TD

alice disse...

que palavras escrever aqui? não tenho nenhumas capazes desse privilégio. fica o meu espanto e admiração. e um grande beijinho.

alice

maria disse...

Grandioso, Licínia!

Um beijo.

Isa&Luis disse...

Olá,

Excelente!


Amei.

beijo grande

Isa

aquilária disse...

afinal estás de volta e eu nem tinha dado por isso!

...e das palavras - ou da palavra única, que contém todas as outras -há-de subsistir sempre o mistério...

um abraço afectuoso

DE PROPOSITO disse...

A palavra, as palavras. E mais não sei dizer.
Fica bem.
Manuel

doistons disse...

E com poucas palavras saio.
Um beijo pelo que li.

GTL disse...

Olá Licinia,
que saudades de vir aqui ler essas tuas palavras.
beijos
MDB

tb disse...

fico assim, parada a olhar as palavras que trazem consigo a luz!...
Beijo sem palavras

TMara disse...

esta comumpágina e inquietação pelas palavras. Em busca da palava cujo sentido esteja aonda inteiro, intacto. Da qual possamos voltar a dizer:« no início era o verbo» e ao verbo voltamos. Pq as palavras contèm a força anímica k torna reais coisas e mundos.
Bjs.
Luz e paz ao teu redor e em teu caminhar

folhasdemim disse...

Gostei muito da tua poesia :)
Beijos, Betty

Frioleiras disse...

maravilhoso, sempre, o Vergílio Ferreira e essa tua fotografia do Outono, Outono dourado e ... amado !

tinta permanente disse...

Fiquei sem palavras, Licínia! Que beleza... Os meus olhos, de repente, ficaram mais... aguados...
Obrigada pela sua escrita e IMENSA sensibilidade!

arquivo

 
Site Meter