1.4.07

ÁGUAS


Tudo era água
e eu deitada nos leitos curvilíneos
das sereias
Era um canto longe
e eu dormente na viagem ritmada
das algas
Aromas de velas
antes do tempo ardidas
Todos os barcos encalhados
em súbitos baixios

Só eu só água
só o salto prateado de um peixe
só reflexos de mim
só a crua mudez dos oráculos

Da praia nem sinal


Há tanto tempo queria ver os golfinhos nas brincadeiras que se dizia acontecerem no estuário do grande rio. Ontem subiu para o barco e lá foi. O sol muito aberto picava-lhe a pele sardenta dos ombros. Com irreverência, tirou o chapéu da cabeça, atirou-o ao rio e deixou que o vento lhe soltasse os cabelos. Sentia-se tão bem. Rodeada de azul e verde e oiro. Foi até ao varandim da proa. Quase sem barco. A sós com as águas cheias de algas, de peixes, de medusas. Pirata nas Caraíbas. Num barco para Ítaca. Podia ter sido tanta gente. Podia ter estado em tanto lado. Mas era só uma mulher devassando as águas com o olhar salgado, na esperança de ver uma dança de golfinhos. Com um pouco mais de imaginação, até seria capaz de avistar uma sereia. Foi aquele sol a pique. Hoje acordou com febre. No sono agitado, sentiu que alguém lhe beijava as mãos. Regressará ao rio. Desta vez os golfinhos não faltarão ao encontro. Ah... e não voltará a dar o chapéu às águas.


Licínia Quitério

24 comentários:

Maria P. disse...

Gostei do suave correr das tuas "Águas". Muito bonito.

Beijinhos Amiga.

herético disse...

belo o barco do teu olhar...

un dress disse...

das águas.

se nada

à flor da pele


se bebe

da concha das mãos

unidas.

***

Dad disse...

Gostei do seu blog e venho convidar para o jantar dos bloggers no dia 14. Se quiser, entre no meu blog e veja como é, ok?

Abraço,

alice disse...

nem de propósito. parece que o meu post foi feito para ti ;) isto sem pretensão nenhuma, naturalmente. e a ver se me lembro daqui a 6 dias vir dar-te os parabéns pelo 1.º aniversário cá do sítio! beijinho muito grande, senhora das águas ;)

M. disse...

Belas as palavras deste teu Domingo.
Um beijo.

hfm disse...

Boa Páscoa para ti tb! Belíssimo o poema, atrevo-me a destacar:

"Era um canto longe
e eu dormente na viagem ritmada
das algas"

maria disse...

Querida Licínia,

Não páras de me maravilhar...
Por um lado, a solenidade de um belíssimo poema: este "Águas". Por outro, a tua desmontagem, a azul, em tom brincalhão e descomprometido, como quem tenta "aligeirar" esse teu outro lado sério e profundo, não vás tu própria acreditar que és apenas uma, a dos poemas a preto...

Um beijo com todo o meu afecto e admiração.

isabel mendes ferreira disse...

água assim tão navegável e bebível..........

não conhecia.





bebi-A. toda.




beijo.

Cusco disse...

Olá! Aproveito para deixar os votos de uma Santa e Feliz Páscoa!
O texto que acabei de escrever tem por objectivo homenagear todos os meus familiares: Os vivos, os mortos e os que estão por nascer ainda. O mundo é muito, muito pequeno.. … quem sabe se esse cheiro a flores não te persegue e protege a ti também….Para Sempre!!!
Até breve
SE DEUS QUISER

legivel disse...

... a tal consonância das palavras no virtual em acção.
Desta vez, consonância de palavras molhadas das águas de um rio feito de encantamento com golfinhos, medusas e porque não? sereias. Águas de esperança apesar de tudo. E agradabilíssimas de se lerem, as tuas.
As minhas, molhadas da chuva que ainda se faz sentir, que Abril é mês de contagem larga no que a ela (chuva) diz respeito. Mas sempre de sorriso nos lábios,mesmo que não evidente nas ficções fantasiosas...


Beijinho e uma boa Páscoa.

António Melenas disse...

Bonito, Licínia!
Se eu fosse um pota a sério, um poeta como tu, diria que gostaria de ser barco para navegar nas tuas águas, nas águas deste poema
Boa Páscoa
e um grande beijinho par ti

Teresa David disse...

Aguá que levas as mágoas correndo de par em par...
O teu post relembrou-me este poema do Manuel da Fonseca tão bem cantado pelo Adriano Correia de Oliveira, dois bons amigos que há muito perdi.
E as tuas palavras também são relaxantes como quando as águas nos envolvem e nos tornam mais leves.
Bjs
TD

bettips disse...

Minha querida "pintora das palavras"... obrigada, vemo-nos sempre nas esquinas, não é? E sabemos que gostamos, apreciamos. A face do rio sem areia e as fotos antigas, da terra que nos entra. Fica BEM, com pérolas, acho que te ficariam bem as pérolas, tão invulgares como a doença das ostras, como esta in-solidão que se transporta como pérola...

Sandra disse...

Continuo sem sinal da praia...mas continuo a acreditar na sabedoria das águas que me conduzem por entre os barcos encalhados. Se os oráculos continuam mudos, continuo, porém, a escutar o canto das sereias e continuo a reflectir a luz da vida. Continuo.

Beijo e uma Páscoa muito doce!

Era uma vez um Girassol disse...

Lindo, lindo...
Vim dar-te um abraço pelo mimo que deixaste no girassol.
Foi tortura...
Mas a luta continua...

Beijinhos

alice disse...

querida licínia. boa páscoa para ti. e um grande grande beijinho *

Opintas/Bernardo disse...

Boa Páscoa e um abraço.

Menina_marota disse...

E nas águas brandas da Vida nos revemos...

Deixo um abraço e o desejo que tenhas uma boa Páscoa ;)

Anónimo disse...

Tanta vez queriamos poder dar o chapéu às águas...tanta vez!
Mas para além de não chegarem os golfinhos, o barco se afasta e ficamos em terra!...

Muito belo Amiga e Parabéns!
Votos de Boa Páscoa e um ovito cheio de beijos da

Maria Mamede

MARIA VALADAS disse...

ADOREI....O SITIO DO POEMA!!

Voltarei com mais tempo...

Agora é para desejar UMA SANTA E FELIZ PÀSCOA!

Beijinhos da

Maria

Anónimo disse...

Pois é:quando há um aniversário diz-se:Parabéns.Ao blog aniversariante nada se diz.Lê-se e sente-se
João Abel

TINTA PERMANENTE disse...

Dar ou não o chapéu às águas é irrelevante; como a febre que o sol de exageros lhe derramou pela calada. Importa, isso sim, é o querer de mar, de medusas e silhuetas de golfinhos. Sempre regressará com horizontes nos olhos...
Abraços, amiga!

Poeta das Caraibas disse...

sentido .. gostei

arquivo

 
Site Meter