1.7.08

DESPOJOS




São meus estes despojos?
A quentura do ar fecha a pergunta
no lar da minha boca.
Heróis de anónimas batalhas
passeiam-se ondulantes
na luz negra das janelas.
Dormem as aves.
Os lagartos devoram
a parede de sol.
Migrantes as águas,
tombados os cântaros.

Sítios que me habitam
nas horas do silêncio.

Licínia Quitério


P.S. Por uns tempos, este Sítio e o Outro irão ficar desabitados de mim. Deixo-os ao vosso cuidado. Sei que regarão as flores, darão comida aos bichos e limparão as palavras de alguma poeira impertinente. No regresso, receberão um sorriso grato que nada melhor me ocorre que vos possa ofertar.
Licínia Quitério

24 comentários:

Maria disse...

Não sei do que gosto mais, se do poema se da fotografia.
Acho que se completam, de uma forma belíssima.
"Dormem as aves", gostei!

Um abraço

CNS disse...

Gosto de escutar a canícula deste teu silencio em poema.

Irei espreitando a tua janela para ver se regressaste.

um abraço

heretico disse...

guarda esses sítios. que te habitam. não como despojos. mas como raiz e seiva...

belo.

busillis disse...

Então muito boas férias. Assim espero!
Abraço

João Videira Santos disse...

Há frases e frases, umas mais marcantes, outras nem por isso. Esta marca..."Sítios que me habitam
nas horas do silêncio."

maria m. disse...

Gosto de passar aqui. Irei vendo do teu regresso. um beijo.

Lúcia disse...

"Sítios que me habitam nas horas de silêncio". E com aquela foto. Tal e qual. Estas palavras são o que sinto, mas sem saber dispô-las assim, infelizmente! Tal e qual.
Beijinhos

casa de passe disse...

quanto à "precária", acontece na verdade que, por muito estranho que possa parecer a algumas pessoas, há situaçõs que nos deixam saudades...


joão

casa de passe disse...

será um previlégio regar as tuas flores e manter imaculadas as palavras que nos deixas.

e um sorriso teu será enorme paga para quem trabalha por prazer.
obrigado.


joão

M. disse...

Gostei muito, Licínia.

Graça Pires disse...

O sítio que te habita nas horas do silêncio é mágico... Podes contar comigo para limpar "as palavras de alguma poeira impertinente".
Um beijo Licínia.

Maria disse...

Regarei as flores....

hfm disse...

Virei cá cuidar dele. Um beijo.

Justine disse...

Fulgurantes as palavras, radiosa a foto! Um post luminoso de verão, com um suave perfume nostálgico!


P.S.:O sorriso é recompensa mais que suficiente :))Boas férias!

Marinha de Allegue disse...

Coidalo todo será un pracer, máis a túa volta superará ese pracer.

Unha aperta Licínia.
:)

*Hei de estar en agosto por Mafra.

Elsa Martinho disse...

Existem sítios que merecem ser encontrados.
Gostei.

Um abraço nesta visita.

Mar Arável disse...

pARECE O MEU SÍTIO

BOM REGRESSO

Maria Laura disse...

Sopra uma brisa quente desse teu poema. Um reflexo de sol nas paredes brancas.
E assim esperamos a volta do teu sorriso.

APC disse...

Lindo, lindo, lindo...
Francamente lindo.
E aquela casa, como que olhando, p'la janela, o tempo que por ela passa. E o poema, completo e tanto!...

Quero acreditar que não seja triste aquilo que te ausenta.

Um abraço.

bettips disse...

Apesar do sol
inquietantes lugares.
Viremos ao quintal, espantar "os lagartos".
Bjinhos

O Lápis disse...

O gostar sempre de voltar a este e ao outro sitio.



Que estejas bem, Licinia!


Um beijo

encena_dor disse...

Logo que lhe seja possível venha conhecer o meu blog.

notyet disse...

Estando longe não poderei satisfazer teu pedido, assim nem regarei as flores, nem darei comida aos bichos o que decerto outros farão.
Com pesar meu, todavia, pois aproveitaria para com eles trocar algumas impressões.
Preocupa-me sobretudo o furão do teu sitio "mais prosaico".
Se cuidares deles como cuidas do teu blog estão bem entregues.
Fica na luz.

batista disse...

Amiga, em silêncio, todos esses dias em que estiveste ausente, mas sempre presente, sentindo o pulsar dos teus versos.
feliz com teu regresso, deixo um abraço fraterno e uma beijoca fraterna.

arquivo

 
Site Meter