12.8.11

OS PENSAMENTOS




Os pensamentos do homem
fazem germinar objectos.
Antes da cadeira existir
já o homem se sentava
e fabricava os pensamentos,
a desenhar letras de fumo
na imobilidade do tecto.
Os olhos entrançavam danças rápidas.
Depois paravam e dir-se-ia um vapor
de saudade o que escorria pelos braços
que um dia seriam da cadeira.
Ainda que um cachimbo se demore
na bainha dos lábios, o homem dirá,
pelo canto da boca, as dimensões ideais
do seu antigo, único projecto.
Por ele ali chegou, ao lugar onde é possível
afirmar: loucura é nome de pássaro
na seara da noite.
Disse
e o carrossel de estrelas acendeu-se.


Licínia Quitério

9 comentários:

bettips disse...

Realmente... Van Gogh na sua natureza inquieta, quase lhe vi os quadros ao ler-te! E sei lá se não seremos muitos de nós, inventores loucos de ideias no tecto ou no céu. Ou no papel de letras. Ou aqui.
Muito bom, L.
(Claro que estamos de acordo e não quero tb fazer filosofias de, para, porquê, como. Sabemos nós bem. Mas "valores" para mim têm um sentido positivo e estes "novos valores" são deprimentes; por isso falei "na falta deles", no meu ponto de vista ético e humanista. E o bets é um pequeno apontamento para ler e entender como "quando se me conhecem". Ou não.)
Bjinho

Anónimo disse...

Foi bom lê-la.

heretico disse...

... e assim o Homem se fez poeta! na simplicidade fabricar pensamentos.

belo o carrossel de estrelas que iluminas.

beijo

Justine disse...

Quando loucura, poesia e toda a arte têm o mesmo caminho...ou o memo destino!
Abracinhos, amiga poetisa:)))

Alien8 disse...

Brilhante. Simplesmente brilhante. Um poema da génese, do pensar, do sonhar, do fazer das palavras casa e alimento. Que mais será preciso dizer? Bravo!

Mar Arável disse...

A complexidade do simples

na tua bela poesia

é um desafio à leitura
mesmo quando me deito
nas marés

Bjs

Graça Pires disse...

"loucura é nome de pássaro
na seara da noite" Maravilhoso!
O fabrico das coisas nasce dos sonhos do homem. É bom que nunca se percam esses sonhos. Gostei tanto do poema, Licínia.
Um grande beijo.

M. disse...

Belíssima cada palavra em si mesma. Como os tons especiais de Van Gogh, cada um deles em separado, fazendo o todo de que tanto gosto. É bom ser-se louco de loucuras assim.

sandrafofinha disse...

Nunca paramos de pensar,as nossas palavras ditam os nossos pensamentos,os nossos gestos ditam os nossos pensamentos,tudo dita os nossos pensamentos. Beijinhos fofinhos!! Os pensamentos quando querem sabem ser uma grande obra de arte e esse é mesmo o teu caso,és uma grande poetisa e uma grande escritora. Parabens!! Fica bem querida!!

arquivo

 
Site Meter