29.12.12

DESEJO PARA O ANO NOVO


Espero os dias de algodão doce
a lambuzarem os narizes
empinados das casas.
Um anjo de feira de asas de oiro
ou um belo gigante das arábias,
cada um de seu jeito, a soltarem
risadas, na colheita do açúcar
nas alturas. Da solidão das casas
nunca amadas sairão borboletas,
corações, lenços de namorados,

coisas assim, esquecidas,
aprendidas no chão das outras
casas, quando o lume era aberto
e na sala de entrada brincava
o sol com a preguiça dos gatos.

O dia do céu de novo fértil, 
das casas baixas, com portas
pequeninas para os gatos,
para as fadas, com janelas
grandes onde os meninos 
se debrucem lambuzados
de açúcar, partilhado em segredo
com os anjos de feira, com
os bons gigantes.

Licínia Quitério

4 comentários:

bettips disse...

Tantos "Os Sítios"
indizíveis
reconhecidos.
Abraços

O Puma disse...

Vagarosos instantes

M. disse...

Um desejo que nos entra no coração.
Beijinho

Filoxera disse...

Porque a poesia anda muito de mão dada com os sonhos de criança...
Beijinhos.

arquivo

 
Site Meter