19.9.14

ASTROS


Não vale a pena procurar astros morrentes, que para tal nos basta o espelho de água, nas voltas do tempo vário.
Grandiosa a corrida dos peixes rio acima, na sua estação de esperanças, na ignorância da força da corrente.
Maior é a vida que carregam.
Correm as folhas do Outono, monte abaixo, ao sabor da levada, arrefecida a seiva, cegas pelas esperas.
Entre o peixe e a folha um astro se levanta.
Nascentes, inaugurais, brotam palavras.

Licínia Quitério

5 comentários:

heretico disse...

brotam palavras cristalinas num murmúrio de louvor à Vida!

muito belo.

beijo

Pérola disse...

O nascimento, o movimento dão sentido à vida.

Beijinhos

Graça Pires disse...

As palavras: nascentes inaugurais e fecundas na tua voz...
Um beijo, amiga.

ॐ Shirley ॐ disse...

Que lindo, Licínia...Adorei!
Beijos!

DE-PROPOSITO disse...

Correm as folhas do Outono,
--------
O Outono prenúncio do Inverno. Ou dito de outra maneira: _prenúncio do final da caminhada.
---
Felicidades
MANUEL

arquivo

 
Site Meter