24.4.06

25 DE ABRIL

É sempre tempo de falar de um Abril que aconteceu, de remoer um Abril que se não deu.
Em Abril renascemos. Respirámos tão fundo que à nossa volta estremeceu o mundo.
Assim fizemos nós, os já cansados, os sofridos, os ansiosos pela luz tardia no brilhar.
Assim falo eu dos que Abril aguardaram em silêncios redondos de medo e solidão. Dos que mais longe foram e rasgaram o escuro e por isso pagaram com o corpo e o coração.


Depois de Abril nasceram. Não trouxeram consigo a memória das sombras. Não precisaram de aprender da Liberdade o nome, porque ela os inundou como se seiva fora, primordial e imensa.
Assim falo eu dos que souberam pelos pais e os pais dos pais que um outro mundo houvera em que o Adamastor impedira a dobragem do Cabo das Tormentas que em Esperança se tornou para lá dos temporais.


Outros irão nascer, netos dos netos a haver. A pouco e pouco Abril se irá esbatendo, a lembrança dos homens esmorecendo. Mas Abril ainda aqui está e aos fantasmas do ontem que por aí assomam, de sorriso rasgado, mas com o olhar gelado, aos novos comedores do sangue da manada, aos velhos fazedores do mito e da traição, hoje diremos, com o queixo levantado, do nosso amigo segurando a mão, a palpitar, festivo, o coração:

ABRIL NOS DEU A HORA E NADA FOI EM VÃO!

ABRIL NOS DEU A HORA E NADA FOI EM VÃO!

Licínia Quitério

4 comentários:

rutebruno disse...

espero que eu meu filho um dia saiba, pelos pais, avós e tios, como custou a liberdade...
gostei de te ler!

Poesia Portuguesa disse...

"...Depois de Abril nasceram. Não trouxeram consigo a memória das sombras. Não precisaram de aprender da Liberdade o nome, porque ela os inundou como se seiva fora, primordial e imensa."

Gostei! E, assim se cumpre Abril!

Um abraço solidário ;)

Menina_marota disse...

Um dos melhores textos que li, nos últimos tempos acerca do 25 de Abril.
Não vivamos no passado. Cumpra-se o futuro...

Um abraço solidário ;)

Teresa David disse...

Que belo texto. Mtos sinceros parabéns. É bom ver ainda vivo Abril em tantos de nós que lutámos pela liberdade, ainda por cima dp de ter sido vítima de um acto de censura, irónicamente a 24 de Abril. Será que eles andam por aí a tentar rebentar com a nossa tão querida e presente liberdade de pensar e existir?
Um abraço amigo
Teresa David

arquivo

 
Site Meter